segunda-feira, 1 de outubro de 2018

CRC 02/2018 – Questão nº01 da Prova Branca (nº07 da Prova Verde, nº02 da Prova Amarela e nº08 da Prova Azul) – Contabilidade Geral

O Balanço Patrimonial da Sociedade Empresária Alfa, encerrado em 31/12/2016, apresentava um ativo imobilizado reconhecido ao valor contábil de R$ 80.000,00. Em 31/12/2017, a Sociedade Empresária Alfa encontrou indicações observáveis de que o valor desse ativo imobilizado diminuiu significativamente ao longo do ano de 2017, mais do que seria de se esperar como resultado da passagem do tempo ou do seu uso normal. Ademais, a Sociedade Empresária Alfa tinha evidências disponíveis, provenientes de seus relatórios internos, indicando que o desempenho econômico desse ativo imobilizado seria pior que o esperado. Sabendo disso, a Sociedade Empresária Alfa, em 31/12/2017, reconheceu a perda por desvalorização desse ativo imobilizado, assegurando que ele estivesse registrado contabilmente por valor que não excedesse seu valor de recuperação.

Informações complementares levantadas sobre esse ativo imobilizado:
  • Em 31/12/2007, as expectativas de mercado para o valor justo desse ativo foram dadas pelos fluxos de caixa futuros líquidos de despesas de alienação, sendo: Ano 2018 R$ 30.000,00; Ano 2019 R$ 20.000,00; Ano 2020 R$ 30.000,00.
  • Os fluxos de caixa futuros líquidos de despesas de alienação foram determinados com base no valor indicado pelas expectativas de mercado, em 31/12/2017, em relação à vida útil remanescente de 3 anos para esse ativo.
  • Em 31/12/2017, a taxa de desconto que refletia avaliações de mercado sobre o valor do dinheiro no tempo e dos riscos específicos desse ativo imobilizado era de 12% ao ano.
  • Em 31/12/2017, a expetativa era que, ao final de sua vida útil remanescente, o ativo teria valor residual igual a zero.


Considerando-se somente as informações apresentadas e a NBC TG 01 (R4) – Redução ao valor recuperável de ativos e NBC TG 46 (R2) – Mensuração do valor justo, assinale, entre as alternativas a seguir, aquela com o valor que mais se aproxima da perda por desvalorização do ativo imobilizado que a Sociedade Empresária Alfa reconheceu contabilmente em 31/12/2017. Considere ainda que se tratou de um ativo individual e que ele não havia sofrido nenhum tipo de reavaliação.

A) R$ 95.017,00.
B) R$ 80.000,00.
C) R$ 64.083,00.
D) R$ 15.917,00.


Resolução em texto elaborada pela Profª Yasmin:

1º) O que a questão pede?

O valor da perda por desvalorização do ativo imobilizado.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?

Para resolvermos esta questão, temos que ter claro os conceitos de “perda por desvalorização” e “valor recuperável”. Segundo a NBC TG 27 – Ativo Imobilizado:

Perda por redução ao valor recuperável é o valor pelo qual o valor contábil de um ativo excede seu valor recuperável.
Valor recuperável é o maior valor entre o valor justo menos os custos de venda de um ativo e seu valor em uso.

Então, para saber se tivemos uma “perda” precisamos comparar o valor contábil do ativo, que nesse caso é de R$ 80.000,00 conforme o enunciado, em relação ao seu valor recuperável.

Aí, eu te pergunto: qual é o valor recuperável desse ativo?
Bom, aí que precisaremos calcular... hehehe...

Analisando as informações complementares do enunciado, verificamos que há dados sobre o valor justo desse ativo, conforme as expectativas do mercado.

Esse valor justo aparece em fluxo de caixa futuros, o que automaticamente podemos concluir que será necessário trazer esses valores ao “valor presente” descontando a taxa de 12%.

A fórmula para calcularmos o Valor Presente é:
PV = FV / (1 + i)n

Onde,

PV = é o Valor Presente
FV = é o Valor Futuro (no caso aqui, é o valor do fluxo)
i = taxa
n = tempo

Vejamos como fica:

Ano de 2018 no valor R$ 30.000,00, considerando tempo de 1 ano:
PV = 30.000,00 / (1 + 0,12)1
PV = 30.000,00 / 1,12
PV = 26.785,71

Ano de 2019 no valor R$ 20.000,00, considerando tempo de 2 ano:
PV = 20.000,00 / (1 + 0,12)2
PV = 20.000,00 / 1,25
PV = 15.943,88

Ano de 2020 no valor R$ 30.000,00, considerando tempo de 3 ano:
PV = 30.000,00 / (1 + 0,12)3
PV = 30.000,00 / 1,40
PV = 21.353,41

Total do Valor Justo trazido ao valor presente:
Valor Justo = 26.785,71 + 15.943,88 + 21.353,41
Valor Justo = R$ 64.083,00

Com isso, se o Valor Contábil era de R$ 80.000,00, a perda que a empresa teve foi de:

Perda = Valor Contábil – Valor Recuperável
Perda = R$ 80.000,00 – 64.083,00
Perda = R$ 15.917,00

Gabarito: “D”

Agora, se você quiser fazer o cálculo pela calculadora HP12C (que é bem simples e por isso recomendo o uso no dia do exame, para ganhar mais tempo na resolução desse tipo de questão), sempre antes de começar a calcular, aperte a tecla “f” em laranja e depois a tecla “CLX”. Isso é um “reset” para limpar a memória dela.

Como exemplo, vamos apenas fazer o cálculo do último fluxo do ano de 2020 (mas a maneira de calcular serve para os outros fluxos também), utilizando a sequência:

30.000 CHS FV
3 n
12 i
PV

Com isso aparecerá no visor o valor de R$ 21.353,41:
  


Depois de calcular os três fluxos pela HP, basta somar ao final como fizemos acima e calcular a perda de R$ 15.917,00.

Gabarito: “D”

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

4 comentários:

  1. Olá Professora Yasmim! Tudo bem?
    Venho estudando bastante sobre o CPC 01, mas confesso que essa questão me pegou!
    Achei muito difícil, e como não uso calculadora HP, gostaria de saber se há possibilidade de chegar nesse cálculo usando a calculadora normal. Peço desculpas pelo incomodo, mas gostaria de saber se posso encontrar o resultado mais fácil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee... Com a calculadora normal, tem que fazer seguindo a fórmula: PV = FV / (1 + i)n. MAs, a calculadora normal não calcula potência, o que faz com que demore mais para se calcular. Então, para encontrar um resultado mais fácil, o melhor seria com uma HP12C ou pelo menos com uma "científica".
      Com a calculadora normal, por exemplo, o cálculo do "ano 2020" ficaria assim:
      PV = 30.000,00 / (1 + 0,12)3
      PV = 30.000,00 / 1,12 x 1,12 x 1,12 (já que a calculadora normal não calcula potência)
      PV = 30.000,00 / 1,40
      PV = 21.353,41
      Então, teria que fazer assim para todos os períodos, o que acaba perdendo mais tempo.
      Abraço!

      Excluir
  2. Olá, essa questão há um erro no enunciado que fala 2007 e não 2017, por tanto ela deveria ser passivel de anulação

    ResponderExcluir
  3. Obrigado por compartilhar a resolução!

    ResponderExcluir