sábado, 1 de setembro de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº50 da Prova Branca (nº50 da Prova Verde, nº50 da Prova Amarela e nº50 da Prova Azul) – Língua Portuguesa

Textos para responder à questão 50.

A uberização do trabalho no século XXI
Tarefas sob demanda ganham espaço em um mercado transformado pela automação e pela inteligência artificial

Na primeira metade do século XXI, o mundo do trabalho está em ebulição. Os impactos das transformações provocadas pela automação acentuada e pela inteligência artificial ainda são difíceis de mensurar – as previsões vão de cortes de 10% a 40% dos empregos atuais. Uma situação, porém, já faz parte do presente: as tarefas sob demanda, tendência já batizada de uberização do trabalho. A carreira dentro de uma única empresa ficou para trás, e as funções de média gerência estão desaparecendo num processo considerado sem volta. O designer Wallace Vianna, de 50 anos, viveu 13 anos sob o regime da carteira de trabalho, nascido com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), com horário fixo, férias e 13º salário. Atualmente, é empregado de si mesmo, administra quatro contratos simultaneamente, convivendo com oscilação de renda de um salário mínimo (R$ 954) a cinco salários (R$ 4.770).
“Sou técnico, publicitário, contato, cuido da parte financeira e administrativa. Costumo oferecer um leque de opções para o cliente, como web designer, professor de design, cubro férias de profissionais da área. O trabalho pode ser com carteira assinada ou não. Depende do que aparecer”, afirmou o profissional, formado em design pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).
Nesse novo mundo do trabalho, os empregos típicos da classe média vão diminuir, dizem analistas. Até mesmo profissões com status de doutor, como a de advogado ou médico, vão sofrer baques na empregabilidade. Leitura de peças processuais e análise de exames clínicos se darão com base em gigantescos bancos de dados, o big data, eliminando uma etapa da preparação do processo na Justiça e no diagnóstico do paciente.
“Está se criando um fosso entre os altamente qualificados e os de baixa qualificação. Cada vez se necessita menos dos médios qualificados. Onde havia gerentes que nos atendiam em agências de turismo e companhias aéreas, há sistemas. O trabalho das 9 horas às 18 horas tende a desaparecer. Vai ser controlado à distância, numa contratação mais precária, em prazos menores e com menos segurança”, disse o procurador do Trabalho Rodrigo Carelli, professor de Direito do Trabalho e de Direito e Sociedade da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Atualmente, no Brasil, de um total de 8,2 milhões de empresas, 4,2 milhões não têm empregados. No setor de serviços, onde o trabalho de autônomos é mais intenso, esses negócios individuais chegam a representar 59,2%. Nesses casos, as relações de trabalho viraram relações empresariais.
(Cássia Almeida, com reportagem de Madson Gama. 28/05/2018. Disponível em: https://epoca.globo.com/tecnologia/noticia/2018/05/uberizacao-do-trabalho-no-seculo-xxi.html.)


O novo perfil de uma das profissões mais estáveis do Brasil

São Paulo – Faça chuva ou faça sol na economia do país, quem trabalha com contabilidade parece estar sempre a salvo de turbulências. Mas toda essa lendária estabilidade da carreira não se traduz em ausência de novidades – ou de mudanças.
A chegada de novas tecnologias está alterando a antiga profissão, e quem não acompanhar esse ritmo acabará ficando para trás, diz o professor Bruno Salotti, coordenador da graduação em ciências contábeis da FEA-USP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo).
Foi-se o tempo em que o contador era o mero encarregado de registrar manualmente em livros cada ocorrência contábil do negócio. As atividades burocráticas da área passaram a ser cada vez menos feitas por humanos com a chegada da informática e, mais tarde, dos softwares especializados.
“O profissional deixou de produzir os dados e passou a analisá-los, com o objetivo de prever o impacto contábil de cada decisão de negócios”, diz Salotti. Nesse sentido, deixou de olhar para o passado da empresa – o dinheiro que entrou e que saiu no mês anterior, por exemplo –, e passou a fazer projeções para seu futuro.
A automatização de processos em contabilidade transformou um trabalho burocrático em analítico, o que também abriu espaço para que ele pudesse se tornar gerencial: há anos, grandes empresas já contam com a figura do CAO (Chief Accounting Officer), uma posição de diretoria alternativa à do tradicional CFO (Chief Financial Officer).
“O contador tem sido trazido para o âmbito da gestão”, afirma o professor da USP. “Ele agora ajuda a desenhar operações para gerar economia fiscal, identificar as melhores áreas geográficas para expandir o negócio e delinear as estratégias da companhia de forma geral”.
(GASPARINI, Claudia. 18/12/2017. Disponível em:
https://exame.abril.com.br/carreira/o-novo-perfil-de-uma-das-profissoes-mais-estaveis-do-brasil/.)


Questão 50:

Confrontando os textos apresentados “A uberização do trabalho no século XXI”, denominado o primeiro texto, e “O novo perfil de uma das profissões mais estáveis do Brasil”, denominado o segundo texto, é correto afirmar que:

A) A citação de discurso alheio apresenta-se sob forma diversa e com propósitos distintos em ambos os textos, que em nada podem ser equiparados.
B) Os sentidos dos textos apresentados, expressos a partir de informações consistentes, permitem que haja equivalência sobre determinado ponto de vista acerca dos assuntos tratados.
C) Tendo em vista os meios de circulação explicitados nos dois textos, pode-se afirmar que tanto a situação de comunicação quanto a linguagem utilizada distinguem-se em virtude do nível de formalidade exigido para cada um deles.
D) A compreensão dos conteúdos apresentados conduz ao entendimento de que há uma relação explícita entre um e outro, revelando que os procedimentos argumentativos utilizados no segundo texto expressam uma refutação em relação aos apresentados no primeiro texto.


Resolução em texto elaborada pelo Profº Thiago:

1º) O que a questão pede?

Para analisar as afirmativas apresentadas e identificar a alternativa correta

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?

Essa questão envolve interpretação. Por esse motivo, é possível que os julgamentos que vou apresentar abaixo sejam diferentes dos julgamentos feitos por vocês ao analisar cada uma das alternativas.

Nesses casos não se trata de certo ou errado, apenas ter consciência de que é possível ter julgamentos diferentes sobre as afirmações e mesmo assim chegarmos a uma mesma conclusão.

A alternativa “A” afirma que os textos não podem ser equiparados em nada. Essa informação é falsa, uma vez que ambos os textos tratam sobre mudanças no mercado de trabalho por causa da tecnologia.

Considerei a alternativa “B” correta, pois entendo que de certo modo, há uma equivalência nos assuntos tratados.

A alternativa “C” considera os meios de comunicação de cada texto para afirmar que a linguagem e a formalidade de cada um deles é diferente. Ambos os textos foram publicados em revistas de grande circulação, uma sendo a Época e a outra a Exame. Não consegui identificar níveis diferentes de formalidade e tampouco diferenças na linguagem, por isso considerei falsa.

A alternativa “D” é falsa ao afirmar que o segundo texto apresenta ideia contrária ao primeiro. Considero mais que evidente que ambos os textos possuem linhas de raciocínio muito parecidas e por isso expressam ideias que se alinham. Por isso essa alternativa é falsa.

Gabarito: “B”

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

Um comentário:

  1. sua análise esta corretíssima e eu havia feito dessa forma, porém ainda sim marquei a letra A.. afff.

    ResponderExcluir