quinta-feira, 23 de agosto de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº42 da Prova Branca (nº44 da Prova Verde, nº44 da Prova Amarela e nº43 da Prova Azul) – Contabilidade Geral

Em 02/04/2014, uma empresa adquiriu um computador para ser utilizado por sua secretária por R$ 8.000. Na data, a empresa pagou R$ 100,00 de frete, R$ 300,00 para instalação dos programas necessários ao funcionamento do computador e R$ 200,00 para contratar um antivírus anual. Além disso, o computador veio com garantia de um ano e a empresa adquiriu garantia estendida por mais um ano, por R$ 100,00. A vida útil econômica do computador no momento da compra era de oito anos. No entanto, a empresa esperava utilizá-lo por cinco anos e depois doá-lo. Em 31/12/2016, a administração da empresa realizou o teste de recuperabilidade de seu computador. Nesta avaliação, ela constatou que o valor presente dos fluxos de caixa futuros esperados pelo uso do computador era de R$ 2.970. Já o valor líquido de venda na data era de R$ 3.240,00. Assinale a alternativa que indica o valor contábil do computador em 31/12/2017 com base nas informações anteriores e de acordo com a NBC TG 27 (R4) – Ativo Imobilizado e a NBC TG 01 (R4) – Redução ao Valor Recuperável de Ativos.

A) R$ 1.620,00.
B) R$ 1.800,00.
C) R$ 2.100,00.
D) R$ 3.240,00.


Resolução em texto elaborada pelo Profº Thiago:

1º) O que a questão pede?
Para identificar a alternativa que apresente o valor contábil do computador em 31/12/2017.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Primeiramente, vamos começar com o reconhecimento do ativo imobilizado de acordo com a NBC TG 27.

“16. O custo de um item do ativo imobilizado compreende:
(a)      Seu preço de aquisição, acrescido de impostos de importação e impostos não recuperáveis sobre a compra, depois de deduzidos os descontos comerciais e abatimentos;
(b)      Quaisquer custos diretamente atribuíveis para colocar o ativo no local e condição necessárias para o mesmo ser capaz de funcionar da forma pretendida pela administração;
(c)       ...”

De acordo com este item da norma, consideraremos como elementos do custo, o valor da compra do computador, o valor do frete e o valor para a instalação dos programas necessários ao funcionamento.

Os valores pagos pelo antivírus e pela garantia estendida não irão compor o valor do ativo, pois não são necessários para o seu funcionamento, e assim, serão classificados como despesa.

Portanto, o valor registrado no ativo imobilizado será:

R$ 8.000 + R$ 100 + R$ 300 = R$ 8.400

Definido o valor reconhecido, temos agora que definir a vida útil desse ativo.

“57. A vida útil de um ativo é definida em termos da utilidade esperada do ativo para a entidade. A política de gestão de ativos da entidade pode considerar a alienação de ativos após um período determinado ou após o consumo de uma proporção específica de benefícios econômicos futuros incorporados no ativo. Por isso, a vida útil de um ativo pode ser menor do que a sua vida econômica. A estimativa da vida útil do ativo é uma questão de julgamento baseado na experiência da entidade com ativos semelhantes.”

Muito embora a vida útil econômica do computador seja 8 anos, a empresa pretende utilizar por 5 anos e depois doá-la. Por isso, nossa base de depreciação serão os 5 anos (60 meses).

Com base nisso, vamos calcular a depreciação do computador até 31/12/2016. Calcularemos até essa data pois é o mesmo período em que a administração da empresa realizou o teste de recuperabilidade no ativo e precisaremos identificar se o ativo sofrerá alguma perda por redução ao valor recuperável. Trataremos os detalhes do teste mais adiante.

R$ 8.400 / 60 = R$ 140/mês

De abril a dezembro de 2014, consideraremos como 9 meses de uso e, consequentemente, de depreciação, isso porque a empresa comprou e colocou o computador em uso no dia 02/04 e sendo assim, consideraremos a depreciação do mês de abril como um mês completo.

Portanto, teremos 9 meses do ano de 2014, 12 meses de 2015 e 12 meses de 2016.

9 + 12 + 12 = 33 meses.

Então, da data da compra até 31/12/2016, o valor da depreciação acumulada do computador será:

R$ 140 * 33 = R$ 4.620

Para saber o valor contábil nessa data, teremos de subtrair o valor contábil inicial da depreciação acumulada:

R$ 8.400 – R$ 4.620 = R$ 3.780

Pronto, agora que já temos todas as informações referentes à depreciação, vamos trabalhar com o teste de recuperabilidade e verificar se haverá redução ao valor recuperável desse ativo.

A NBC TG 01 conceitua o valor recuperável do ativo da como sendo o maior montante entre seu valor justo líquido de despesa de venda e o seu valor em uso.

Além dessa definição, ela aborda novamente o tema no item 18:

“18. Esta Norma define valor recuperável como o maior valor entre o valor justo líquido de despesas de venda de um ativo ou de unidade geradora de caixa e o seu valor em uso.”

O enunciado da questão nos informa que o valor presente dos fluxos de caixa futuros esperados pelo uso do computador era de R$ 2.970 e que o valor líquido de venda era de R$ 3.240.

Dos dois valores apresentados, iremos utilizar o valor justo líquido das despesas de venda de R$ 3.240, por ser o maior valor entre eles.

Com essa informação, vamos observar outro item da NBC TG 01:

“59. Se, e somente se, o valor recuperável de um ativo for inferior ao seu valor contábil, o valor contábil do ativo deve ser reduzido ao seu valor recuperável. Essa redução representa uma perda por desvalorização do ativo.”

Comparando o valor contábil que apuramos pela depreciação do ativo no valor de R$ 3.780 e o valor líquido das despesas de venda de R$ 3.240 e seguindo a NBC, verificaremos que será necessário realizar o reconhecimento de uma perda por desvalorização do ativo de forma que o novo valor contábil desse ativo passe a ser de R$ 3.240.

Nesse momento, o balanço patrimonial da empresa apresentaria a informação da seguinte forma:

Imobilizado

Computadores e Periféricos
3.240
Computador
8.400
(-) Depreciação Acumulada
(4.620)
(-) Perda estimada ao valor recuperável
(540)

A questão quer saber o valor contábil em 31/12/2017, ou seja, um ano após o reconhecimento dessa perda. Para identificarmos esse valor, teremos de calcular a depreciação referente a 2017, mas para isso, precisamos nos atentar a outro item da NBC TG 01:

“63. Depois do reconhecimento da perda por desvalorização, a despesa de depreciação, amortização ou exaustão do ativo deve ser ajustada em períodos futuros para alocar o valor contábil revisado do ativo, menos seu valor residual (se houver), em base sistemática ao longo de sua vida útil remanescente.”

Sabemos que a vida útil desse computador foi definida para 60 meses e que já foi depreciado por 33 meses. Agora teremos de calcular o valor da depreciação para os meses remanescentes da seguinte forma:

60 – 33 = 27 meses

Usaremos o novo valor contábil para dividir pelo número de meses remanescentes de vida útil para encontrar a depreciação mensal.

R$ 3.240 / 27 = R$ 120

Como precisamos calcular a depreciação por mais um ano, basta multiplicar esse valor por 12 para encontrarmos a depreciação acumulada referente a 2017:

R$ 120 * 12 = R$ 1.440

Agora, basta subtrair o valor contábil de 31/12/2016 da depreciação acumulada de 2017 e teremos o valor contábil de 31/12/2017:

R$ 3.240 – R$ 1.440 = R$ 1.800

Gabarito: “B”

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

8 comentários:

  1. essa questão resolvi de uma maneira mais simplificada, se me sugere irei divulga-la.
    Valor contábil 8.000,00 02/04/2014
    frete 100,00
    programa 300,00
    total 8.400,00 02/04/2014

    Depreciação 8.400,00/5 = 1.680,00 anual
    1.680,00 x 2 anos
    Depreciação acumulada até a data 31/12/2016 3.360,00

    Valor Contábil 8.400,00
    (-) Valor Depreciado 3.360,00

    Valor total Depreciado 5.040,00 em 31/12/2016

    informação exercício valor uso 2.970,00 e o valor venda 3.240,00, ao teste de recuperabilidade dos valores se considera o maior R$ 3.240,00.


    Valor Total depreciado 5.040,00
    valor de venda 3.240,00

    total valor contábil R$ 1.800,00

    Houve uma perda do bem. motivo quando o valor contábil da data de aquisição for maior que o preço de venda, deve-se fazer o reconhecimento da perda.




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde,
      muito obrigada por compartilhar.

      Excluir
    2. 1.680 x 2 anos, O Por que desses 2 anos ?

      Excluir
    3. Olá Carlos. Imagino que a sua resolução tenha dado certo por conta do acaso. Tome cuidado, pois era necessário depreciar todo o período de abril de 2014 a dezembro de 2016.

      Depois de reconhecer a perda também é preciso fazer o ajuste da depreciação para calcular o valor correto.
      Um abraço.

      Excluir
  2. Pelos meus calculos nessa questão, cheguei a questão da letra C, pois no meu ver esta claro. Assinale a alternativa que indica o valor contábil do computador em 31/12/2017 com base nas informações anteriores. Será que estou interpretando errado?!! Ou será que esta pedindo o valor contabil 2016 que ficará em 2017 é isso?

    ResponderExcluir
  3. Já entendi a questão 42!! Esse calculo foi feito em duas etapas e acabei errando pelo lado mais facil...muito desatento...obrigado...

    ResponderExcluir
  4. Boa noite!
    Não consegui compreender porque foi depreciado em 33 meses e nao em 43....
    Não entendi a explicação do professor Thiago e nem do Carlos Pedroso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Erica. Se você contar de Abril de 2014 até Dezembro de 2016, serão 33 meses. A primeira etapa do exercício deve ser feita até essa data para que se possa fazer o teste de recuperabilidade e identificar se houve perda ao valor recuperável. Depois de reconhecer a perda, faz o ajuste e então calcula a depreciação por mais 12 meses, pois o exercício pede o saldo contábil até dezembro de 2017.
      Espero ter esclarecido. Um abraço.

      Excluir