sexta-feira, 31 de agosto de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº49 da Prova Branca (nº49 da Prova Verde, nº49 da Prova Amarela e nº49 da Prova Azul) – Língua Portuguesa

Texto para responder à questão 49.

A uberização do trabalho no século XXI
Tarefas sob demanda ganham espaço em um mercado transformado pela automação e pela inteligência artificial

Na primeira metade do século XXI, o mundo do trabalho está em ebulição. Os impactos das transformações provocadas pela automação acentuada e pela inteligência artificial ainda são difíceis de mensurar – as previsões vão de cortes de 10% a 40% dos empregos atuais. Uma situação, porém, já faz parte do presente: as tarefas sob demanda, tendência já batizada de uberização do trabalho. A carreira dentro de uma única empresa ficou para trás, e as funções de média gerência estão desaparecendo num processo considerado sem volta. O designer Wallace Vianna, de 50 anos, viveu 13 anos sob o regime da carteira de trabalho, nascido com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), com horário fixo, férias e 13º salário. Atualmente, é empregado de si mesmo, administra quatro contratos simultaneamente, convivendo com oscilação de renda de um salário mínimo (R$ 954) a cinco salários (R$ 4.770).
“Sou técnico, publicitário, contato, cuido da parte financeira e administrativa. Costumo oferecer um leque de opções para o cliente, como web designer, professor de design, cubro férias de profissionais da área. O trabalho pode ser com carteira assinada ou não. Depende do que aparecer”, afirmou o profissional, formado em design pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).
Nesse novo mundo do trabalho, os empregos típicos da classe média vão diminuir, dizem analistas. Até mesmo profissões com status de doutor, como a de advogado ou médico, vão sofrer baques na empregabilidade. Leitura de peças processuais e análise de exames clínicos se darão com base em gigantescos bancos de dados, o big data, eliminando uma etapa da preparação do processo na Justiça e no diagnóstico do paciente.
“Está se criando um fosso entre os altamente qualificados e os de baixa qualificação. Cada vez se necessita menos dos médios qualificados. Onde havia gerentes que nos atendiam em agências de turismo e companhias aéreas, há sistemas. O trabalho das 9 horas às 18 horas tende a desaparecer. Vai ser controlado à distância, numa contratação mais precária, em prazos menores e com menos segurança”, disse o procurador do Trabalho Rodrigo Carelli, professor de Direito do Trabalho e de Direito e Sociedade da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Atualmente, no Brasil, de um total de 8,2 milhões de empresas, 4,2 milhões não têm empregados. No setor de serviços, onde o trabalho de autônomos é mais intenso, esses negócios individuais chegam a representar 59,2%. Nesses casos, as relações de trabalho viraram relações empresariais.
(Cássia Almeida, com reportagem de Madson Gama. 28/05/2018. Disponível em: https://epoca.globo.com/tecnologia/noticia/2018/05/uberizacao-do-trabalho-no-seculo-xxi.html.)


Questão 49:

O texto apresentado é construído a partir de elementos que se articulam de forma a obter um resultado comunicacional satisfatório considerando-se a situação de comunicação em que está inserido. Tendo em vista os aspectos linguísticos empregados e a produção de sentido que emerge a partir dos mesmos, analise as afirmativas a seguir.

I. Recorre-se à utilização de estratégias que conferem credibilidade ao texto de modo recorrente.
II. A criação de neologismo pelo autor demonstra uma crítica à nova demanda de que trata o texto que afeta o mercado de trabalho convencional.
III. A utilização de verbos empregados predominantemente no presente do indicativo tem sua função relacionada à estrutura textual apresentada e seu objetivo comunicacional.
IV. Pode-se afirmar que a sequência textual dominante se desenvolve a partir de argumentos que somados expressam um ponto de vista claro e definido em relação ao assunto apresentado.

São consideradas corretas de acordo com o texto apenas

A) I e III.
B) II e III.
C) I, II e IV.
D) II, III e IV.


Resolução em texto elaborada pela Profª Yasmin:

1º) O que a questão pede?

Que analisemos os 4 itens (afirmativas) para verificar se está de acordo com o sentido do texto.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?

Vamos analisar cada item e confrontar o sentido de acordo com o texto:

Item I: Recorre-se à utilização de estratégias que conferem credibilidade ao texto de modo recorrente.
Análise: Está correta! Uma das estratégias é ter utilizado entrevista com pessoas que estão envolvidas com o assunto, e isto traz credibilidade.

Item II: A criação de neologismo pelo autor demonstra uma crítica à nova demanda de que trata o texto que afeta o mercado de trabalho convencional.
Análise: Está incorreta! O neologismo empregado no texto, no caso é a palavra “uberização”, não diz que foi uma palavra criada pelo autor. Sem falar que o autor não critica essa nova demanda, apenas relata fatos que estão acontecendo.

Item III: A utilização de verbos empregados predominantemente no presente do indicativo tem sua função relacionada à estrutura textual apresentada e seu objetivo comunicacional.
Análise: Está correta! O presente do indicativo é um tempo verbal utilizado para falar de uma ação que ocorre no momento da fala, e, como o autor relata fatos que estão acontecendo, os verbos empregados estão com esse objetivo comunicacional.

IV. Pode-se afirmar que a sequência textual dominante se desenvolve a partir de argumentos que somados expressam um ponto de vista claro e definido em relação ao assunto apresentado.
Análise: Está incorreta! Não mostra de maneira clara e definida qual o ponto de vista do autor, apesar dos argumentos utilizados.

Sendo assim, estão corretos os itens I e III.

Gabarito: “A”

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº48 da Prova Branca (nº47 da Prova Verde, nº47 da Prova Amarela e nº48 da Prova Azul) – Perícia Contábil


Segundo a NBC TP 01 – Perícia Contábil, ao ser intimado para dar início aos trabalhos periciais, o perito do juízo deve comunicar às partes e aos assistentes técnicos: a data e o local de início da produção da prova pericial contábil, exceto se designados pelo juízo. Sobre este assunto, analise as afirmativas marque V para as verdadeiras e F para as falsas.

( ) Caso não haja, nos autos, dados suficientes para a localização dos assistentes técnicos, a comunicação deve ser feita diretamente às partes e/ou ao Juízo.
( ) O perito-assistente pode, tão logo tenha conhecimento da perícia, manter contato com o perito do juízo, colocando-se à disposição para a execução da perícia em conjunto.
( ) Na impossibilidade da execução da perícia em conjunto, o perito do juízo deve permitir aos peritos-assistentes o acesso aos autos e aos elementos de prova arrecadados durante a perícia, indicando local e hora para exame pelo perito-assistente.
( ) O perito-assistente pode entregar ao perito do juízo cópia do seu parecer técnico-contábil, previamente elaborado, planilhas ou memórias de cálculo, informações e demonstrações que possam esclarecer ou auxiliar o trabalho a ser desenvolvido pelo perito do juízo.

A sequência está correta em

A) F, F, F, V.
B) F, F, V, V.
C) F, V, V, V.
D) V, V, V, F.


Resolução em texto elaborada pelo Profº Thiago:

1º) O que a questão pede?

Para julgar as afirmativas apresentadas em verdadeiras ou falsas e depois identificar a alternativa que apresente a sequência correta.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?

As afirmativas apresentadas na questão, tratam da execução dos trabalhos de perícia.

De acordo com a NBC TP 01:

“6. Ao ser intimado para dar início aos trabalhos periciais, o perito do juízo deve comunicar às partes e aos assistentes técnicos: a data e o local de início da produção da prova pericial contábil, exceto se designados pelo juízo.
(a)      Caso não haja, nos autos, dados suficientes para a localização dos assistentes técnicos, a comunicação deve ser feita aos advogados das partes e, caso estes também não tenham informado endereço nas suas petições, a comunicação deve ser feita diretamente às partes e/ou ao Juízo.
(b)      O perito-assistente pode, tão logo tenha conhecimento da perícia, manter contato com o perito do juízo, colocando-se à disposição para a execução da perícia em conjunto.
(c)       Na impossibilidade da execução da perícia em conjunto, o perito do juízo deve permitir aos peritos-assistentes o acesso aos autos e aos elementos de prova arrecadados durante a perícia, indicando local e hora para exame pelo perito-assistente.
(d)      O perito-assistente pode entregar ao perito do juízo cópia do seu parecer técnico-contábil, previamente elaborado, planilhas ou memórias de cálculo, informações e demonstrações que possam esclarecer ou auxiliar o trabalho a ser desenvolvido pelo perito do juízo.”

Percebam que de todos os itens que constam na norma, o único que se apresenta diferente é o item (a). E por isso, de todas as afirmativas apresentadas é a única que é Falsa.

Portanto, teremos a sequência F, V, V, V.

Gabarito: “C”

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº47 da Prova Branca (nº48 da Prova Verde, nº48 da Prova Amarela e nº47 da Prova Azul) – Perícia Contábil

De acordo com a NBC TP 01 – Perícia Contábil, o planejamento da perícia é a etapa do trabalho pericial que antecede diligências, pesquisas, cálculos e respostas aos quesitos, na qual o perito do juízo estabelece a metodologia dos procedimentos periciais a serem aplicados, elaborando-o a partir do conhecimento do objeto da perícia. Em relação aos objetivos do planejamento da perícia, assinale uma alternativa INCORRETA.

A) Definir a natureza, a oportunidade e a extensão dos procedimentos a serem aplicados, em consonância com o objeto da perícia.
B) Estabelecer como ocorrerá a divisão das tarefas entre os membros da equipe de trabalho, sempre que o perito necessitar de auxiliares.
C) Conhecer o objeto e a finalidade da perícia, a fim de permitir a adoção de procedimentos que conduzam à revelação da verdade, a qual subsidiará o juízo, o árbitro ou o interessado a tomar a decisão a respeito da lide.
D) Identificar e avaliar riscos de distorções relevantes que possam comprometer o andamento normal dos trabalhos de forma a não comprometer a emissão de opinião sobre as demonstrações contábeis e/ou laudo pericial.


Resolução em texto elaborada pela Profª Yasmin:

1º) O que a questão pede?

Que assinalemos a alternativa INCORRETA, em relação aos “objetivos do planejamento” da perícia contábil, conforme a NBC TP 01 – Perícia Contábil.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?

Trata-se de uma questão teórica de perícia, onde se faz necessário o conhecimento da NBC TP 01 – Perícia Contábil.

De acordo com a NBC TP 01, em seu item 31 sobre os objetivos do planejamento:
“Os objetivos do planejamento da perícia são:
(a) conhecer o objeto e a finalidade da perícia, a fim de permitir a adoção de procedimentos que conduzam à revelação da verdade, a qual subsidiará o juízo, o árbitro ou o interessado a tomar a decisão a respeito da lide;
(b) definir a natureza, a oportunidade e a extensão dos procedimentos a serem aplicados, em consonância com o objeto da perícia;
(c) estabelecer condições para que o trabalho seja cumprido no prazo estabelecido;
(d) identificar potenciais problemas e riscos que possam vir a ocorrer no andamento da perícia;
(e) identificar fatos importantes para a solução da demanda, de forma que não passem despercebidos ou não recebam a atenção necessária;
(f) identificar a legislação aplicável ao objeto da perícia;
(g) estabelecer como ocorrerá a divisão das tarefas entre os membros da equipe de trabalho, sempre que o perito necessitar de auxiliares;
(h) facilitar a execução e a revisão dos trabalhos.”

Então, podemos perceber que a alternativa que está INCORRETA é a letra “D”.

Gabarito: “D”

Baixe aqui a NBC TP 01 – Perícia Contábil:

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº45 da Prova Branca (nº46 da Prova Verde, nº45 da Prova Amarela e nº46 da Prova Azul) – Auditoria Contábil

A NBC TA 705 – Modificações na Opinião do Auditor Independente apresenta a determinação do tipo de modificação na opinião do auditor. Sobre este assunto, analise as afirmativas, marque V para as verdadeiras e F para as falsas.

( ) O auditor deve expressar uma opinião com ressalva quando, tendo obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente, concluir que as distorções, individualmente ou em conjunto, são relevantes e generalizadas para as demonstrações contábeis.
( ) O auditor deve se abster de expressar uma opinião quando, em circunstâncias extremamente raras envolvendo diversas incertezas, concluir que, independentemente de ter obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente sobre cada uma das incertezas, não é possível expressar uma opinião sobre as demonstrações contábeis devido à possível interação das incertezas e seu possível efeito cumulativo sobre essas demonstrações contábeis.
( ) O auditor deve expressar uma opinião adversa quando, tendo obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente, concluir que as distorções, individualmente ou em conjunto, são relevantes e generalizadas nas demonstrações contábeis; ou não é possível para ele obter evidência apropriada e suficiente de auditoria para fundamentar sua opinião, mas ele conclui que os possíveis efeitos de distorções não detectadas sobre as demonstrações contábeis, se houver, poderiam ser relevantes, mas não generalizados.

A sequência está correta em

A) F, V, F.
B) V, F, V.
C) F, F, V.
D) V, V, F.


Resolução em texto elaborada pela Profª Yasmin:

1º) O que a questão pede?

Que julguemos os 3 itens do enunciado e analisemos a sequência correta, mediante conhecimento da NBC TA 705 – Modificações na Opinião do Auditor Independente.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?

Se trata de uma questão teórica de auditoria, onde analisaremos e julgaremos cada item de acordo com a NBC TA 705.

Item I: O auditor deve expressar uma opinião com ressalva quando, tendo obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente, concluir que as distorções, individualmente ou em conjunto, são relevantes e generalizadas para as demonstrações contábeis.
Análise: é Falso, pois na NBC TA 705 diz o seguinte:
“7. O auditor deve expressar uma “Opinião com ressalva” quando:
(a) ele, tendo obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente, conclui que as distorções, individualmente ou em conjunto, são relevantes, mas não generalizadas nas demonstrações contábeis; ou
(b) não é possível para ele obter evidência apropriada e suficiente de auditoria para fundamentar sua opinião, mas ele conclui que os possíveis efeitos de distorções não detectadas sobre as demonstrações contábeis, se houver, poderiam ser relevantes, mas não generalizados.”

Item II: O auditor deve se abster de expressar uma opinião quando, em circunstâncias extremamente raras envolvendo diversas incertezas, concluir que, independentemente de ter obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente sobre cada uma das incertezas, não é possível expressar uma opinião sobre as demonstrações contábeis devido à possível interação das incertezas e seu possível efeito cumulativo sobre essas demonstrações contábeis.
Análise: é Verdadeiro, pois está de acordo com o que a NBC TA 705 diz:
“10. O auditor deve se abster de expressar uma opinião quando, em circunstâncias extremamente raras envolvendo diversas incertezas, concluir que, independentemente de ter obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente sobre cada uma das incertezas, não é possível expressar uma opinião sobre as demonstrações contábeis devido à possível interação das incertezas e seu possível efeito cumulativo sobre essas demonstrações contábeis. ”

Item III: O auditor deve expressar uma opinião adversa quando, tendo obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente, concluir que as distorções, individualmente ou em conjunto, são relevantes e generalizadas nas demonstrações contábeis; ou não é possível para ele obter evidência apropriada e suficiente de auditoria para fundamentar sua opinião, mas ele conclui que os possíveis efeitos de distorções não detectadas sobre as demonstrações contábeis, se houver, poderiam ser relevantes, mas não generalizados.
Análise: é Falso, pois na NBC TA 705 diz o seguinte:
“8. O auditor deve expressar uma “Opinião adversa” quando, tendo obtido evidência de auditoria apropriada e suficiente, conclui que as distorções, individualmente ou em conjunto, são relevantes e generalizadas para as demonstrações contábeis.” (somente isto! Essa segunda parte do item riscado acima, misturou com opinião com ressalva)

Portanto, a sequência será F, V, e F.

Gabarito: “A”

Baixe aqui a NBC TA 705 – Modificações na Opinião do Auditor Independente:

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

sábado, 25 de agosto de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº44 da Prova Branca (nº42 da Prova Verde, nº43 da Prova Amarela e nº42 da Prova Azul) – Contabilidade Geral

Uma entidade efetuou as seguintes operações em 2017: 
  • Receita de vendas: R$600.000.
  • Custo das mercadorias vendidas: R$250.000.
  • Receita com a venda de ativo imobilizado: R$80.000.
  • Custo do ativo imobilizado vendido: R$70.000.
  • Receita de equivalência patrimonial: R$150.000.
  • Despesa de salários de funcionários próprios: R$100.000.
  • Despesa de salários de funcionários terceirizados: R$40.000.
  • Despesa de aluguel: R$36.000.

Com base nas informações acima e na NBC TG 09 – Demonstração do Valor Adicionado, assinale a alternativa que indica o valor adicionado total a distribuir, apresentado na Demonstração do Valor Adicionado da entidade em 31/12/2017.

A) R$ 320.000.
B) R$ 410.000.
C) R$ 434.000.
D) R$ 470.000.


Resolução em texto elaborada pelo Profº Thiago:

1º) O que a questão pede?
Para identificar a alternativa que apresente o valor adicionado total a distribuir em 31/12/2017.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Em primeiro lugar é preciso saber a estrutura da DVA, de acordo com a NBC TG 09.


Sabendo a estrutura da DVA, vamos começar por identificar em qual item lançaremos cada uma das operações da empresa:

Receita de vendas será lançado no item 1
Custo das mercadorias vendidas será lançado no item 2
Receita com a venda de ativo imobilizado será lançado no item 1
Custo do ativo imobilizado vendido será lançado no item 2
Receita de equivalência patrimonial será lançado no item 6
Despesa de funcionários próprios será lançado no item 8
Despesa de funcionários terceirizados será lançado no item 2 (entende-se como serviço tomado de outra empresa)
Despesa de aluguel será lançado no item 8.

Agora que já sabemos onde lançar cada item, vamos fazer os lançamentos e apurar o valor do item 7 que é o valor adicionado a distribuir

Portanto, o valor adicionado total a distribuir é de R$ 470.000,00

Gabarito: “D”

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº43 da Prova Branca (nº43 da Prova Verde, nº42 da Prova Amarela e nº44 da Prova Azul) – Contabilidade Geral

Uma entidade apresentava em 31/12/2016 o seguinte Balanço Patrimonial:

Caixa 100.000            Capital Social 100.000

Durante o ano de 2017, aconteceram os seguintes fatos na entidade: 
  • Compra à vista de estoque por R$ 20.000.
  • Compra de moto para entregas por R$ 30.000. Metade do valor foi pago à vista e o restante será pago em 2018.
  • Pagamento do seguro da moto com vigência de dois anos, a partir de janeiro de 2017, no valor de R$ 4.800.
  • Os sócios integralizaram capital social em dinheiro, no valor de R$ 18.000.
  • Contração de empréstimo bancário no valor de R$ 5.000.
  • Pagamento de juros sobre o empréstimo bancário no valor de R$ 250.
  • Empréstimo feito à empresa controlada no valor de R$ 35.000.
  • Venda de metade do estoque por R$ 40.000 para recebimento em 2018.
  • Reconhecimento de despesas diversas no valor de R$ 30.000 para pagamento em 2018.

Com base na NBC TG 03 (R3) – Demonstração dos Fluxos de Caixa, assinale a alternativa correta em relação à Demonstração dos Fluxos de Caixa da entidade em 31/12/2017, admitindo que ela siga os encorajamentos estabelecidos pela norma.

A) A atividade operacional consumiu R$ 20.000.
B) A atividade operacional consumiu R$ 24.800.
C) A atividade de investimento consumiu R$ 50.000.
D) A atividade de investimento consumiu R$ 54.800.


Resolução em texto elaborada pela Profª Yasmin:

1º) O que a questão pede?

Que analisemos a alternativa que nos mostre o resultado da Demonstração dos Fluxos de Caixa da entidade em 31/12/2017, mediante os fatos contábeis apresentados no enunciado.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?

Bom, se trata de outra questão envolve a Demonstração dos Fluxos de Caixa e vamos, novamente rever alguns conceitos básicos, descritos na NBC TG 03.

A DFC apresenta os fluxos de caixa classificados em atividades operacionais, de investimento e de financiamento.

A definição de cada uma dessas atividades, de acordo com a norma é:

“Atividades operacionais são as principais atividades geradoras de receita da entidade e outras atividades que não são de investimento e tampouco de financiamento.”

“Atividades de investimento são as referentes à aquisição e à venda de ativos de longo prazo e de outros investimentos não incluídos nos equivalentes de caixa.”

“Atividades de financiamento são aquelas que resultam em mudanças no tamanho e na composição do capital próprio e no capital de terceiros da entidade.”

Para resolver esta questão, vamos elaborar a DFC pelo método direto, classificando os fatos contábeis, analisando o impacto no caixa da empresa. Vejamos: 
  • Compra à vista de estoque por R$ 20.000 = trata-se de atividade operacional e tem impacto negativo no caixa.
  • Compra de moto para entregas por R$ 30.000. Metade do valor foi pago à vista e o restante será pago em 2018. = trata-se de atividade de investimento e tem impacto negativo no caixa de metade do valor em 2017.
  • Pagamento do seguro da moto com vigência de dois anos, a partir de janeiro de 2017, no valor de R$ 4.800 = trata-se de atividade operacional e tem impacto negativo no caixa de metade do valor em 2017.
  • Os sócios integralizaram capital social em dinheiro, no valor de R$ 18.000. = trata-se de atividade de financiamento e tem impacto positivo no caixa.
  • Contração de empréstimo bancário no valor de R$ 5.000. = trata-se de atividade de financiamento e tem impacto positivo no caixa.
  • Pagamento de juros sobre o empréstimo bancário no valor de R$ 250. = apesar de poder ser classificado como atividade de financiamento, a NBC TG 03 encoraja que seja classificado como "atividade operacional" e tem impacto negativo no caixa.
  • Empréstimo feito à empresa controlada no valor de R$ 35.000. = trata-se de atividade de investimento e tem impacto negativo no caixa.
  • Venda de metade do estoque por R$ 40.000 para recebimento em 2018. = trata-se de atividade operacional, mas não tem impacto no caixa em 2017.
  • Reconhecimento de despesas diversas no valor de R$ 30.000 para pagamento em 2018. = trata-se de atividade operacional, mas não tem impacto no caixa em 2017.

Separando agora os valores conforme as atividades e os impactos, teremos:

Atividade Operacional = -20.000,00 – 4.800,00 -250,00 =  (25.050,00)
Ou seja, caixa consumido de 25.050,00.

Atividade de Investimento = -15.000,00 – 35.000,00 =  (50.000,00)
Ou seja, caixa consumido de 50.000,00.

Atividade de Financiamento =  18.000,00 + 5.000,00 =  23.000,00
Ou seja, caixa gerado de 23.000,00.

Com isso, vemos que a alternativa “C” é a correta, pois a atividade de investimento consumiu caixa de R$ 50.000,00.

Gabarito: “C”

NBC TG 03 – Demonstração dos Fluxos de Caixa

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

CRC 01/2018 – Questão nº42 da Prova Branca (nº44 da Prova Verde, nº44 da Prova Amarela e nº43 da Prova Azul) – Contabilidade Geral

Em 02/04/2014, uma empresa adquiriu um computador para ser utilizado por sua secretária por R$ 8.000. Na data, a empresa pagou R$ 100,00 de frete, R$ 300,00 para instalação dos programas necessários ao funcionamento do computador e R$ 200,00 para contratar um antivírus anual. Além disso, o computador veio com garantia de um ano e a empresa adquiriu garantia estendida por mais um ano, por R$ 100,00. A vida útil econômica do computador no momento da compra era de oito anos. No entanto, a empresa esperava utilizá-lo por cinco anos e depois doá-lo. Em 31/12/2016, a administração da empresa realizou o teste de recuperabilidade de seu computador. Nesta avaliação, ela constatou que o valor presente dos fluxos de caixa futuros esperados pelo uso do computador era de R$ 2.970. Já o valor líquido de venda na data era de R$ 3.240,00. Assinale a alternativa que indica o valor contábil do computador em 31/12/2017 com base nas informações anteriores e de acordo com a NBC TG 27 (R4) – Ativo Imobilizado e a NBC TG 01 (R4) – Redução ao Valor Recuperável de Ativos.

A) R$ 1.620,00.
B) R$ 1.800,00.
C) R$ 2.100,00.
D) R$ 3.240,00.


Resolução em texto elaborada pelo Profº Thiago:

1º) O que a questão pede?
Para identificar a alternativa que apresente o valor contábil do computador em 31/12/2017.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Primeiramente, vamos começar com o reconhecimento do ativo imobilizado de acordo com a NBC TG 27.

“16. O custo de um item do ativo imobilizado compreende:
(a)      Seu preço de aquisição, acrescido de impostos de importação e impostos não recuperáveis sobre a compra, depois de deduzidos os descontos comerciais e abatimentos;
(b)      Quaisquer custos diretamente atribuíveis para colocar o ativo no local e condição necessárias para o mesmo ser capaz de funcionar da forma pretendida pela administração;
(c)       ...”

De acordo com este item da norma, consideraremos como elementos do custo, o valor da compra do computador, o valor do frete e o valor para a instalação dos programas necessários ao funcionamento.

Os valores pagos pelo antivírus e pela garantia estendida não irão compor o valor do ativo, pois não são necessários para o seu funcionamento, e assim, serão classificados como despesa.

Portanto, o valor registrado no ativo imobilizado será:

R$ 8.000 + R$ 100 + R$ 300 = R$ 8.400

Definido o valor reconhecido, temos agora que definir a vida útil desse ativo.

“57. A vida útil de um ativo é definida em termos da utilidade esperada do ativo para a entidade. A política de gestão de ativos da entidade pode considerar a alienação de ativos após um período determinado ou após o consumo de uma proporção específica de benefícios econômicos futuros incorporados no ativo. Por isso, a vida útil de um ativo pode ser menor do que a sua vida econômica. A estimativa da vida útil do ativo é uma questão de julgamento baseado na experiência da entidade com ativos semelhantes.”

Muito embora a vida útil econômica do computador seja 8 anos, a empresa pretende utilizar por 5 anos e depois doá-la. Por isso, nossa base de depreciação serão os 5 anos (60 meses).

Com base nisso, vamos calcular a depreciação do computador até 31/12/2016. Calcularemos até essa data pois é o mesmo período em que a administração da empresa realizou o teste de recuperabilidade no ativo e precisaremos identificar se o ativo sofrerá alguma perda por redução ao valor recuperável. Trataremos os detalhes do teste mais adiante.

R$ 8.400 / 60 = R$ 140/mês

De abril a dezembro de 2014, consideraremos como 9 meses de uso e, consequentemente, de depreciação, isso porque a empresa comprou e colocou o computador em uso no dia 02/04 e sendo assim, consideraremos a depreciação do mês de abril como um mês completo.

Portanto, teremos 9 meses do ano de 2014, 12 meses de 2015 e 12 meses de 2016.

9 + 12 + 12 = 33 meses.

Então, da data da compra até 31/12/2016, o valor da depreciação acumulada do computador será:

R$ 140 * 33 = R$ 4.620

Para saber o valor contábil nessa data, teremos de subtrair o valor contábil inicial da depreciação acumulada:

R$ 8.400 – R$ 4.620 = R$ 3.780

Pronto, agora que já temos todas as informações referentes à depreciação, vamos trabalhar com o teste de recuperabilidade e verificar se haverá redução ao valor recuperável desse ativo.

A NBC TG 01 conceitua o valor recuperável do ativo da como sendo o maior montante entre seu valor justo líquido de despesa de venda e o seu valor em uso.

Além dessa definição, ela aborda novamente o tema no item 18:

“18. Esta Norma define valor recuperável como o maior valor entre o valor justo líquido de despesas de venda de um ativo ou de unidade geradora de caixa e o seu valor em uso.”

O enunciado da questão nos informa que o valor presente dos fluxos de caixa futuros esperados pelo uso do computador era de R$ 2.970 e que o valor líquido de venda era de R$ 3.240.

Dos dois valores apresentados, iremos utilizar o valor justo líquido das despesas de venda de R$ 3.240, por ser o maior valor entre eles.

Com essa informação, vamos observar outro item da NBC TG 01:

“59. Se, e somente se, o valor recuperável de um ativo for inferior ao seu valor contábil, o valor contábil do ativo deve ser reduzido ao seu valor recuperável. Essa redução representa uma perda por desvalorização do ativo.”

Comparando o valor contábil que apuramos pela depreciação do ativo no valor de R$ 3.780 e o valor líquido das despesas de venda de R$ 3.240 e seguindo a NBC, verificaremos que será necessário realizar o reconhecimento de uma perda por desvalorização do ativo de forma que o novo valor contábil desse ativo passe a ser de R$ 3.240.

Nesse momento, o balanço patrimonial da empresa apresentaria a informação da seguinte forma:

Imobilizado

Computadores e Periféricos
3.240
Computador
8.400
(-) Depreciação Acumulada
(4.620)
(-) Perda estimada ao valor recuperável
(540)

A questão quer saber o valor contábil em 31/12/2017, ou seja, um ano após o reconhecimento dessa perda. Para identificarmos esse valor, teremos de calcular a depreciação referente a 2017, mas para isso, precisamos nos atentar a outro item da NBC TG 01:

“63. Depois do reconhecimento da perda por desvalorização, a despesa de depreciação, amortização ou exaustão do ativo deve ser ajustada em períodos futuros para alocar o valor contábil revisado do ativo, menos seu valor residual (se houver), em base sistemática ao longo de sua vida útil remanescente.”

Sabemos que a vida útil desse computador foi definida para 60 meses e que já foi depreciado por 33 meses. Agora teremos de calcular o valor da depreciação para os meses remanescentes da seguinte forma:

60 – 33 = 27 meses

Usaremos o novo valor contábil para dividir pelo número de meses remanescentes de vida útil para encontrar a depreciação mensal.

R$ 3.240 / 27 = R$ 120

Como precisamos calcular a depreciação por mais um ano, basta multiplicar esse valor por 12 para encontrarmos a depreciação acumulada referente a 2017:

R$ 120 * 12 = R$ 1.440

Agora, basta subtrair o valor contábil de 31/12/2016 da depreciação acumulada de 2017 e teremos o valor contábil de 31/12/2017:

R$ 3.240 – R$ 1.440 = R$ 1.800

Gabarito: “B”

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!