quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Questão 25 – CRC 02/2017 – Prova Bacharel – Contabilidade de Custos

Em 30.6.2016, uma Indústria que atua no ramo de confecção adquiriu 5.000 metros de tecido por R$50.000,00. Incorreu também em frete para transporte desse tecido, no valor de R$10.000,00.

Durante o mês de julho de 2017, fabricou 2.000 unidades de um único produto, com 4.000 metros de tecido.

Além do tecido, também foram aplicados à produção os seguintes custos:
  • Mão de obra direta das costureiras: R$18,00 por unidade produzida.
  • Depreciação das máquinas: R$1.000,00 no mês, calculada pelo Método Linear.
  • Mão de obra do supervisor de produção: R$16.000,00 no mês.
  • Aluguel mensal da área de produção: R$3.000,00.

Considerando-se apenas as informações apresentadas e desconsiderando-se os aspectos tributários, o total de Custos Variáveis aplicados a produção das 2.000 unidades, no mês de julho de 2017, foi de:

a) R$76.000,00.
b) R$80.000,00.
c) R$84.000,00.
d) R$96.000,00.

Gabarito: “C”


Resolução em texto elaborada pelo Prof. Thiago Chaim:

1º) O que a questão pede?
Para identificar a alternativa que apresente corretamente o total de Custos Variáveis aplicados à produção das unidades no mês de julho de 2017.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Essa questão trouxe algumas “armadilhas” para pegar o candidato desatento.

A primeira coisa a se considerar nessa questão é o fato da empresa ter pago R$ 50.000,00 no tecido e outros R$ 10.000,00 de frete. Isso era importante pois de acordo com a NBC TG 26 – Estoques, define que o valor do frete pode ser integrado como custo de aquisição. Dessa forma, termos o valor total de R$ 60.000,00 para os 5.000 metros de tecido.

Outra coisa importante para resolver essa questão é saber o conceito de Custos Variáveis.

Basicamente, os custos variáveis são aqueles que irão aumentar ou diminuir de acordo com a produção, ou seja, se a empresa produzir mais, terá um custo maior e se produzir menos, terá um custo menor.

Então, vamos começar definindo as informações apresentadas em custos variáveis e custos fixos.

O tecido (matéria-prima) utilizado é um custo variável, se a empresa produzir mais, consumirá mais tecido e se produzir menos, consumirá menos tecido.

A mão de obra das costureiras, também são custos variáveis e segue o mesmo raciocínio.

A depreciação das máquinas está sendo feita pelo método linear, e por essa razão é um custo fixo. Não importa quantas unidades a empresa vai produzir, o valor da depreciação será o mesmo. Caso o método de depreciação fosse feito de acordo com as unidades produzidas, então o custo passaria a ser variável.

A mão de obra do supervisor da produção também é um custo fixo, pois independentemente de quantas unidades serão produzidas, o salário dele será o mesmo.

O aluguel mensal da área de produção também é considerado um custo fixo e segue o mesmo raciocínio do item anterior.

Chegamos no momento em que sabemos que para resolver a questão, precisaremos utilizar apenas as informações referentes ao tecido (matéria-prima) e à mão de obra das costureiras.

Sabemos que o tecido teve um custo de aquisição de R$ 60.000,00 para 5.000 metros. Para saber o preço por metro, basta dividir o valor pago pela quantidade de tecido.

60.000 / 5.000 = 12,00

Cada metro de tecido comprado, possui o valor de R$ 12,00.

É nesse momento que o candidato desatento errou. Sempre que estiver frente à uma questão de custos, é muito importante observar as unidades de medida de que a questão está apresentando e o que está sendo pedido.

Cada metro do tecido, custou R$ 12,00 e no mês de julho foram utilizados 4.000 metros na produção. Para obter o valor total, basta multiplicar um pelo outro.

12,00 x 4.000 = 48.000,00

Esse foi o valor do custo com tecido.
Já o custo de mão de obra foi de R$ 18,00 por unidade. Então temos de multiplicar esse valor pela quantidade de produtos fabricados.

18,00 x 2.000 = 36.000,00

Esse foi o custo com a mão de obra.

Para chegarmos ao valor total de custos variáveis, basta somar esses dois valores.

48.000,00 + 36.000,00 = 84.000,00

E assim, chegamos à alternativa “C”

Resolução em vídeo elaborada pela Prof.ª Yasmin:



Baixe a resolução em PDF no link abaixo:

Quer aprender mais sobre Contabilidade de Custos? Temos dois excelentes conteúdos para indicar:

1) Palestra gratuita de Contabilidade de Custos para revisão, no link:

2) Curso de Contabilidade de Custos em PDF, elaborado por mim, com a Aula 00 gratuita. Baixe e experimente:
Obs: caso tenha interesse em adquirir o curso, utilize o cupom qmcrc10 para ganhar 10% de desconto.

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Questão 24 – CRC 02/2017 – Prova Bacharel – Contabilidade de Custos

Uma Sociedade Empresária apresentou as seguintes informações relativas à produção do Produto A, no mês de julho de 2017:


Considerando-se apenas as informações apresentadas e utilizando-se o Custeio por Absorção, o Custo dos Produtos Acabados, em julho de 2017, é de:

a) R$125.000,00.
b) R$131.000,00.
c) R$135.000,00.
d) R$150.000,00.

Gabarito: “D”

Resolução em texto elaborada pelo Prof. Thiago Chaim:

1º) O que a questão pede?
Para identificar a alternativa que apresente corretamente o Custo dos Produtos Acabados, em julho de 2017.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Para resolver essa questão, bastava saber o conceito do método de Custeio por Absorção.

Esse método de custeio absorve os custos de matéria-prima, mão de obra direta e todos os custos indiretos de fabricação.

Pronto, com isso em mente, basta somar o saldo inicial do estoque de produtos em elaboração com a matéria-prima consumida, a mão de obra direta utilizada, os custos indiretos alocados ao produto e subtrair do saldo final do estoque.
25.000 + 90.000 + 26.000 + 19.000 – 10.000 = 150.000,00

Chegaremos ao custo de produtos acabados de R$ 150.000,00, na alternativa da letra “D”.

Resolução em vídeo elaborada pela Prof.ª Yasmin:


Baixe a resolução em PDF no link abaixo:
PDF_Questão_24_CRC_02/2017_Prova_de_Bacharel

Quer aprender mais sobre Contabilidade de Custos? Temos dois excelentes conteúdos para indicar:

1) Palestra gratuita de Contabilidade de Custos para revisão, no link:

2) Curso de Contabilidade de Custos em PDF, elaborado por mim, com a Aula 00 gratuita. Baixe e experimente:
Obs: caso tenha interesse em adquirir o curso, utilize o cupom qmcrc10 para ganhar 10% de desconto.

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Questão 23 – CRC 02/2017 – Prova Bacharel – Contabilidade de Custos

Conforme a terminologia aplicável na Contabilidade de Custos, a aquisição de matéria prima para utilização futura e o consumo de material secundário utilizado na produção são classificados, respectivamente, como:

a) custo e custo.
b) custo e investimento.
c) investimento e custo.
d) investimento e investimento.

Gabarito: “C”

Resolução em texto elaborada pelo Prof. Thiago Chaim:

1º) O que a questão pede?
Para identificar a alternativa que apresente corretamente a terminologia utilizada nas situações apresentadas no enunciado.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Vamos começar identificando as terminologias utilizadas na Contabilidade de custos e depois os diferentes momentos em que cada uma é utilizada.

Gasto: é o valor desembolsado pela entidade para obter um produto ou serviço.

Investimento: é um gasto efetuado em bens ou serviços que gerarão benefícios no futuro. São reconhecidos no ativo como estoque e posteriormente serão consumidos na produção de outros produtos ou vendidos.

Custo: é quando a empresa emprega os investimentos e efetua outros gastos para a produção de bens.

Despesa: são bens ou serviços consumidos direta ou indiretamente para a obtenção de receitas.

Desembolso: é o pagamento efetuado ao se adquirir um bem ou serviço.

Perda: é o bem ou serviço consumido de modo involuntário ou anormal.

Percebam que os gastos, as despesas e alguns tipos de custos, como energia elétrica da produção por exemplo, são gastos. A natureza e a destinação do gasto é que vai definir como será chamado. Por isso é importante saber distinguir muito bem a diferença entre eles.

Agora que as terminologias foram detalhadas, vamos ver um exemplo hipotético de como elas podem alterar ao longo do processo, pensando na Contabilidade de Custos.

Quando uma entidade realiza a compra de insumos para a produção de algum produto, denominamos que este momento é um Gasto. Quando esse insumo é registrado no ativo da empresa como estoque de matéria-prima, então ele passa a ser um Investimento.
No momento em que a entidade retirar esse insumo do estoque e começar a produção do bem, ele passa a ser chamado de Custo e aí são acrescidos todos os demais custos necessários para a produção daquele produto, (como por exemplo: mão-de-obra, energia elétrica, água, depreciação das máquinas e etc...). E após finalizada a produção deste bem, todos os gastos posteriores para a efetivação da sua venda, são considerados despesas (como por exemplo, frete de venda, comissão, propaganda e etc).

Analisando esse exemplo que acabei de explicar e comparando com as duas situações apresentadas pelo enunciado, verificaremos que a matéria-prima que será utilizada no futuro é um investimento e o material secundário utilizado na produção é um custo.

Alternativa “C” está correta

Resolução em vídeo elaborada pela Prof.ª Yasmin:



Baixe a resolução em PDF no link abaixo:
PDF_Questão_23_CRC_02/2017_Prova_de_Bacharel

Quer aprender mais sobre Contabilidade de Custos? Temos dois excelentes conteúdos para indicar:

1) Palestra gratuita (ou Aulão) de Contabilidade de Custos para revisão, no link:

2) Curso de Contabilidade de Custos em PDF, elaborado por mim, com a Aula 00 gratuita. Baixe e experimente:
Obs: caso tenha interesse em adquirir o curso, utilize o cupom qmcrc10 para ganhar 10% de desconto.

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Questão 22 – CRC 02/2017 – Prova Bacharel – Contabilidade Geral

Uma Sociedade Empresária adquiriu, em 31.12.2015, um caminhão, por R$700.000,00, à vista, e o registrou como um Ativo Imobilizado.

A Sociedade Empresária definiu a vida útil do caminhão em 600.000 km e o valor esperado de venda para esse caminhão, ao final de sua vida útil, foi estimado em R$100.000,00.

Em 30.6.2017, a Sociedade Empresária vendeu o caminhão por
R$415.000,00, à vista.

Sabe-se, ainda, que a Sociedade Empresária calcula a depreciação de acordo com a quilometragem percorrida pelo caminhão e que, até o momento da venda, o caminhão havia percorrido 300.000 km.

A estimativa de vida útil e o valor residual não sofreram alterações.

Considerando-se apenas as informações apresentadas e o que dispõe a NBC TG 27 (R3) – ATIVO IMOBILIZADO, no que se refere à apuração do Resultado Líquido relativo à baixa do Ativo Imobilizado – Veículo de Uso, a Sociedade Empresária incorreu em:

a) ganho de R$115.000,00.
b) ganho de R$15.000,00.
c) perda de R$115.000.00.
d) perda de R$15.000,00.

Gabarito: “B”

Resolução em texto elaborada pelo Prof. Thiago Chaim:

1º) O que a questão pede?
Para identificar a alternativa que apresente corretamente a apuração do Resultado Líquido relativo à venda do caminhão.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Antes de começar a resolução dessa questão, vamos rever alguns conceitos.

Valor contábil é o valor pelo qual um ativo é reconhecido após a dedução da depreciação e da perda por redução ao valor recuperável acumuladas.

Valor depreciável é o custo de um ativo ou outro valor que substitua o custo, menos o seu valor residual.

Valor residual de um ativo é o valor estimado que a entidade obteria com a venda do ativo, após deduzir as despesas estimadas de venda, caso o ativo já tivesse a idade e a condição esperadas para o fim de sua vida útil.

Além de saber esses conceitos, é fundamental saber como eles interagem entre si.

Vamos pensar primeiro na Depreciação de um bem na sua forma mais simples. O bem possui um valor que ao longo do tempo vai diminuindo por conta da depreciação. Chegará um momento em que o valor desse bem será zero.

Até aqui, tudo bem!

Mas e quando o bem, mesmo depois da sua vida útil ter “acabado”, puder ser vendido? Significa que para que ele possa ser vendido, mesmo após a depreciação, ainda deve haver um valor residual.

Essa é a função do valor residual, garantir que o bem ainda tenha valor mesmo após a depreciação de toda a sua vida útil.

Mas como ele funciona? Agora voltamos à questão.

Temos um caminhão de R$ 700.000,00 e que possui vida útil de 600.000 km. No entanto, mesmo após ter rodado por toda a sua vida útil, ao final dos 600.000 km ele ainda valerá R$ 100.000,00

Para garantir que isso aconteça, esse valor não pode fazer parte do valor que será depreciado. Então, nós iremos subtrair do valor do custo do caminhão, o valor residual.

700.000 – 100.000 = 600.000,00

A depreciação do caminhão será calculada apenas sobre os 600.000,00 e não sobre o valor total, ou seja, esses 600.000,00 é o que chamamos de Valor Depreciável.

Depois disso, o enunciado nos informa que o caminhão foi vendido e que naquele momento ele já havia rodado 300.000 km.

Geralmente, fazemos uma regra de 3 para identificar o valor da depreciação, mas nesse caso, como a vida útil percorrida é metade do total, basta encontrar a metade do valor depreciável.

600.000/2 = 300.000,00

Até agora, sabemos que desde a compra temos uma depreciação acumulada de 300.000,00

Com essas informações, vamos encontrar o valor contábil subtraído a depreciação acumulada do valor de custo do caminhão.

700.000 – 300.000 = 400.000,00

Significa que na data da venda, o valor contábil do caminhão era de 400.000,00.

Se a venda do caminhão foi feita por 415.000,00, significa que nessa operação houve um ganho de R$ 15.000,00. Letra: “B”!

Resolução em vídeo elaborada pela Prof.ª Yasmin:


Baixe a resolução em PDF no link abaixo:
PDF_Questão_22_CRC_02/2017_Prova_de_Bacharel   

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Questão 21 – CRC 02/2017 – Prova Bacharel – Contabilidade Geral

A Lei n.º 6.404/76 estabelece que a Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados discriminará:

I. o saldo do início do período, os ajustes de exercícios anteriores e a correção monetária do saldo inicial;
II. as reversões de reservas e o lucro líquido do exercício; e
III. as transferências para reservas, os dividendos, a parcela dos lucros incorporada ao capital e o saldo ao fim do período.

Considerando-se o que dispõe a Lei n.º 6.404/76, no que se refere à Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, assinale a alternativa CORRETA.

a) A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados deverá indicar o montante do dividendo por ação do Capital Social e poderá ser incluída na Demonstração do Valor Adicionado, se elaborada e publicada pela companhia.
b) A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados poderá indicar o montante do dividendo por ação do Capital Social e deverá ser incluída na Demonstração de Resultado do período, a ser elaborada e publicada pela companhia.
c) Na Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, como ajustes de exercícios anteriores, serão considerados apenas os decorrentes de efeitos da mudança de critério contábil, ou da retificação de erro imputável a determinado exercício anterior, e que não possam ser atribuídos a fatos subsequentes.
d) Na Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados, como ajustes de exercícios anteriores, serão considerados apenas os decorrentes de efeitos da mudança de avaliação de ativos, ou da retificação de erro imputável a determinado exercício anterior, desde que possam ser atribuídos a fatos subsequentes.

Gabarito: “C”

Resolução em texto elaborada pelo Prof. Thiago Chaim:

1º) O que a questão pede?
Para identificar a alternativa que apresente corretamente as informações que devem ser apresentadas na Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Outra questão que exigiu do candidato o conhecimento da Lei 6.404/76.

O enunciado do exercício começa descrevendo o Art. 186 da Lei 6.404/76.

Além desses 3 incisos, o Art. 186 ainda possui dois parágrafos que dizem o seguinte:

“§1º Como ajustes de exercícios anteriores serão considerados apenas os decorrentes de efeitos da mudança de critério contábil, ou da retificação de erro imputável a determinado exercício anterior, e que não possam ser atribuídos a fatos subsequentes.

§2º A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados deverá indicar o montante do dividendo por ação do capital social e poderá ser incluída na demonstração das mutações do patrimônio líquido, se elaborada e publicada pela companhia.”

A alternativa “A” está quase igual ao §2º, com a diferença de que ela afirma poder ser incluída na Demonstração do Valor Adicionado. Portanto, alternativa falsa.

A alternativa “B” segue a mesma linha da anterior, mas dessa vez afirma poder ser incluída na Demonstração do Resultado do período. Alternativa falta, também.

A alternativa “C” está exatamente igual ao §1º da Lei e, portanto, é a alternativa correta.

A alternativa “D” é parecida com o §1º, afirmando que as retificações de erros podem ser atribuídas a fatos subsequentes. Portanto, alternativa falsa.

Resolução em vídeo elaborada pela Prof.ª Yasmin:


Baixe a resolução em PDF no link abaixo:
PDF_Questão_21_CRC_02/2017_Prova_de_Bacharel  

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Grande abraço!
Bons estudos!

domingo, 10 de dezembro de 2017

Palestra sobre o Exame na Unisescon em SP: Inscrições Abertas!

Olá queridos!

Eu, juntamente com a Professora Divane, estaremos ministrando uma excelente palestra sobre o Exame de Suficiência na Unisescon, próximo do Metrô Armênia (SP).

A palestra, cujo tema é "A Importância do Exame de Suficiência para a Qualificação do Profissional de Contabilidade", será nessa próxima quarta-feira, dia 13/12/2017, às 19h.

Não perca essa oportunidade! Inscreva-se o quanto antes no link

Nos vemos lá!
Abraços,
Profª Yasmin