quinta-feira, 29 de junho de 2017

Questão 49 – CRC 01/2017 – Prova de Bacharel – Língua Portuguesa

Leia o texto a seguir, sobre o qual versam as questões 49 e 50.
(Clique na imagem para ampliar)

Todas as alternativas a seguir trazem alterados trechos do editorial Profissionais domésticos.

Assinale a alternativa cuja modificação provocou sentido diferente daquele original.

a) “A igualdade de direitos para os empregados domésticos ainda não recebeu reconhecimento integral na legislação brasileira, mas chegou perto disso com a regulamentação, pelo Congresso, da emenda constitucional nº 72 de 2013. Faltou pouco para essa categoria receber equiparação completa com todos os outros trabalhadores do país.” (linhas de 01 a 05)

- A igualdade de direitos para os empregados domésticos ainda não recebeu reconhecimento integral na legislação brasileira, mas chegou perto disso com a regulamentação, pelo Congresso, da emenda constitucional nº 72 de 2013, pois faltou pouco para essa categoria receber equiparação completa com todos os outros trabalhadores do país.

b) “Não resta dúvida de que a distribuição de tais benefícios implica encarecer esse tipo de mão de obra. É o preço a pagar pela eliminação de uma iniquidade que manchava as relações laborais no Brasil: a consagração em lei de uma segunda classe – inferior em seus direitos – de trabalhadores.” (linhas 15 a 18)

- Não resta dúvida de que a distribuição de tais benefícios implica encarecer esse tipo de mão de obra. Esse é o preço a pagar pela eliminação de uma iniquidade que manchava as relações laborais no Brasil: a consagração em lei de uma segunda classe – inferior em seus direitos – de trabalhadores.

c) “Após um ano no emprego, domésticos farão jus a 30 dias de férias, com pagamento acrescido de um terço do salário mensal. Além disso, torna-se obrigatório que patrões recolham contribuição de 8% para o FGTS, um benefício do qual trabalhadores domésticos estavam anteriormente excluídos.” (linhas de 10 a 14)

- Após um ano no emprego, domésticos farão jus a 30 dias de férias, com pagamento acrescido de um terço do salário mensal. Também se torna obrigatório que patrões recolham contribuição de 8% para o FGTS, um benefício do qual trabalhadores domésticos estavam anteriormente excluídos.

d) “Quando houver justa causa para o desligamento, o valor acumulado retornará ao empregador. Há quem veja aí um estímulo para simular a justificação, mas parece improvável que patrões se arrisquem a perder ações na Justiça do Trabalho e com isso tenham de arcar com os custos do processo.’ (linhas 26 a 29)

- Quando houver justa causa para o desligamento, o valor acumulado retornará ao empregador. Há quem veja aí um estímulo para simular a justificação, porque parece improvável que patrões se arrisquem a perder ações na Justiça do Trabalho e com isso tenham de arcar com os custos do processo.


Passo-a-passo da resolução em texto:

1º) O que a questão pede?
Que assinale a alternativa cuja modificação provocou sentido diferente daquele original.

2º) Qual estratégia vamos usar para resolver?
Como nas próprias alternativas já nos traz os trechos originais e os trechos modificados, não precisamos voltar lá no texto pra ler. Pra falar a verdade, para essa questão não precisa ler o texto original não, em nenhum momento, não faça isso! Vamos já analisar as alternativas, comparar os textos (trechos originais x trechos modificados) para ver o que foi que perdeu sentido e ganhar bastante tempo nisso.

Vejamos:

Alternativa “a”

Original: “A igualdade de direitos para os empregados domésticos ainda não recebeu reconhecimento integral na legislação brasileira, mas chegou perto disso com a regulamentação, pelo Congresso, da emenda constitucional nº 72 de 2013. Faltou pouco para essa categoria receber equiparação completa com todos os outros trabalhadores do país.” (linhas de 01 a 05)

Modificado: - A igualdade de direitos para os empregados domésticos ainda não recebeu reconhecimento integral na legislação brasileira, mas chegou perto disso com a regulamentação, pelo Congresso, da emenda constitucional nº 72 de 2013, pois faltou pouco para essa categoria receber equiparação completa com todos os outros trabalhadores do país.

Análise: não modificou o sentido, pois só acrescentaram o conector “pois” para emendar as duas frases. O sentido permaneceu o mesmo.
  
Alternativa “b” 

Original: “Não resta dúvida de que a distribuição de tais benefícios implica encarecer esse tipo de mão de obra. É o preço a pagar pela eliminação de uma iniquidade que manchava as relações laborais no Brasil: a consagração em lei de uma segunda classe – inferior em seus direitos – de trabalhadores.” (linhas 15 a 18)

Modificado: Não resta dúvida de que a distribuição de tais benefícios implica encarecer esse tipo de mão de obra. Esse é o preço a pagar pela eliminação de uma iniquidade que manchava as relações laborais no Brasil: a consagração em lei de uma segunda classe – inferior em seus direitos – de trabalhadores.

Análise: não modificou o sentido, pois só acrescentaram apenas o “Esse” na segunda frase do texto. O sentido permaneceu o mesmo.

Alternativa “c”

Original: “Após um ano no emprego, domésticos farão jus a 30 dias de férias, com pagamento acrescido de um terço do salário mensal. Além disso, torna-se obrigatório que patrões recolham contribuição de 8% para o FGTS, um benefício do qual trabalhadores domésticos estavam anteriormente excluídos.” (linhas de 10 a 14)

Modificado: Após um ano no emprego, domésticos farão jus a 30 dias de férias, com pagamento acrescido de um terço do salário mensal. Também se torna obrigatório que patrões recolham contribuição de 8% para o FGTS, um benefício do qual trabalhadores domésticos estavam anteriormente excluídos.

Análise: não modificou o sentido, pois apenas trocaram o “além disso” por “também” (que são sinônimos) e inverteram a o “torna-se” por “se torna”. O sentido permaneceu o mesmo.

Alternativa “d”

Original: “Quando houver justa causa para o desligamento, o valor acumulado retornará ao empregador. Há quem veja aí um estímulo para simular a justificação, mas parece improvável que patrões se arrisquem a perder ações na Justiça do Trabalho e com isso tenham de arcar com os custos do processo.’ (linhas 26 a 29)

Modificado: Quando houver justa causa para o desligamento, o valor acumulado retornará ao empregador. Há quem veja aí um estímulo para simular a justificação, porque parece improvável que patrões se arrisquem a perder ações na Justiça do Trabalho e com isso tenham de arcar com os custos do processo.

Análise: mudou totalmente o sentido, pois ao trocarem o “mas” pelo “porque”, o “porque” está justificando a primeira parte da frase, vejamos:
Traduzindo com as minhas palavras, na primeira parte está escrito que poderá ocorrer estímulo para simular uma justa causa e no trecho original o “mas” dá o sentido de que “apesar disso” parece improvável que os patrões façam tal coisa.
Já no texto modificado, o porque está dando sentido de que, poderá ocorrer estímulo para simular uma justa causa porque parece improvável que os patrões façam tal coisa, ou seja, está justificando a simulação da justa causa e fez com que perdesse o sentido do trecho original.

Dica: sempre que for resolver uma questão de Língua Portuguesa, não leia o texto completo original primeiro. Sempre veja, primeiramente, o que se pede as questões, para depois avaliar a necessidade de ler ou não o texto completo. Com isso, tenho certeza de que conseguirão economizar um tempo precioso! 

Gabarito: “D”

Acesse outras questões resolvidas no link abaixo:

Deus abençoe!
Muito sucesso!
Profª Yasmin

Nenhum comentário:

Postar um comentário