segunda-feira, 30 de maio de 2016

10 Passos para Passar no Exame: Passo nº 06 – Aprender: Fase 01 Aquisição

Olá meus queridos!

Hoje em nossa série de 10 Passos para Passar no Exame, falo sobre o nosso 6º Passo, que é sobre “Fase 01 – Aquisição na Aprendizagem”.

Se você não assistiu aos passos anteriores, clique aqui.

Assista abaixo nosso 6º Passo para se Preparar e Passar no Exame:


Clique aqui ler o post que fiz sobre Mapas Mentais.

Espero que tenha gostado!
Deixe aqui seus comentários!
Nos vemos no 7º Passo...

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Até mais!
Yasmin

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Questão 50 - CRC 02/2015 - Prova de Bacharel – Língua Portuguesa

Texto das Questões 48, 49 e 50 de Língua Portuguesa:
(clique na imagem para ampliar)
50. A respeito das justificativas para o emprego de sinais de pontuação, identifique o item INCORRETO.

a) O uso do ponto-e-vírgula, na linha 3, indica a oposição entre as ideias por ele separadas.
b) Na linha 6, o emprego do travessão contribui para a construção dos sentidos de efeito e causa que culminam no segundo enunciado.
c) Na linha 18, o uso de reticências marca enumeração inconclusa.
d) O emprego dos dois-pontos na linha 24 introduz o esclarecimento ou a explicação do que se disse na oração anterior.

Resolução em texto:

Bom, para resolver essa questão é necessário saber interpretar o texto e também entender o sentido das pontuações. Então, vamos lá no analisando cada alternativa para encontrarmos a alternativa INCORRETA de maneira fundamentada.

Alternativa “a”: O uso do ponto-e-vírgula, na linha 3, indica a oposição entre as ideias por ele separadas.
Está CORRETA, pois lá no texto, na frase que compõe a linha 2 e 3, diz o seguinte:
“Se você jogar ração de menos ali, o bichinho morre de fome; se der de mais, a ração rouba oxigênio da água, e o peixe sufoca.”
Está dando sentido de oposição de ideias sim, pois mostra o que acontece se “jogar menos ração” e se “jogar mais ração”.

Alternativa “b”: Na linha 6, o emprego do travessão contribui para a construção dos sentidos de efeito e causa que culminam no segundo enunciado.
Está CORRETA, pois lá no texto, na frase que compõe a linha 5, 6 e 7, diz o seguinte:
“Se o governo imprimir de menos, ela morre de fome – ninguém produz mais nada, porque ninguém vai ter dinheiro para comprar mais nada.”
Está esclarecendo o porque “ela morre de fome”, está complementando, contribuindo no sentido do primeiro enunciado.

Alternativa “c”: Na linha 18, o uso de reticências marca enumeração inconclusa.
Está INCORRETA, pois lá no texto, na frase que compõe a linha 18 e 19, diz o seguinte:
“E tudo tinha começado tão bem... Roma nasceu no século VIII a.C. como uma aldeiazinha.”
Logo, o uso da reticência nessa frase exprime uma interrupção do pensamento, um sentimento de reflexão, e não uma enumeração inconclusiva, pois o texto continuou em seguida.
A enumeração inconclusiva é quando se dá a ideia de “etc”, o que não é o caso nessa frase.

Alternativa “d”: O emprego dos dois-pontos na linha 24 introduz o esclarecimento ou a explicação do que se disse na oração anterior.
Está CORRETA, pois lá no texto, se lermos frase que a compõe e a frase anterior, nas linhas 22 a 26, diz o seguinte:
“Foi mais uma coisa que eles copiaram dos gregos, além do Panteão divino e da ideia de ter um governo mais ou menos democrático. Era natural: cidades bem próximas de Roma, como Nápoles e outras do sul da Península Itálica, eram gregas antes de serem anexadas pelos romanos.”
Os uso dos dois pontos está claramente “esclarecendo” ou “explicando” o que foi dito na frase anterior.

Sendo assim, a alternativa que está INCORRETA é a letra “C”.

Deus abençoe!
Sucesso!
Yasmin

terça-feira, 24 de maio de 2016

Questão 49 - CRC 02/2015 - Prova de Bacharel – Língua Portuguesa

Texto das Questões 48, 49 e 50 de Língua Portuguesa:
(clique na imagem para ampliar)

49. De acordo com o texto, é INCORRETO afirmar que:

a) o emprego de formas verbais “souberam”, “aumentaram”, “exagerassem” e “tentaram”, no terceiro e no quarto parágrafos, revela que o conceito de “Estado”, no singular, requer a ideia de plural.
b) o uso do diminutivo, em “aldeiazinha” (l. 19), aumenta a ideia de pequenez e simplicidade que marcou o nascimento de Roma.
c) a cunhagem de moedas é anterior à República romana.
d) a introdução do dinheiro alimentou a expansão do império romano.

Resolução em texto:

Bom, para resolver essa questão é necessário saber interpretar o texto. Então, vamos lá no analisando cada alternativa para encontrarmos a alternativa INCORRETA de maneira fundamentada.

Alternativa “a”: o emprego de formas verbais “souberam”, “aumentaram”, “exagerassem” e “tentaram”, no terceiro e no quarto parágrafos, revela que o conceito de “Estado”, no singular, requer a ideia de plural.
Está INCORRETA, pois no texto essas formas verbais, que está no plural, não estão se referenciando diretamente ao conceito de “Estado” e sim com os conceitos de “Governo”, de “Mercado Econômico”, de “Consumidores” daquele contexto. A única parte de fala de “Estado” diz:
“E o Estado cortou um pouco a quantidade de prata em cada moeda para ter como produzir mais moeda.”
Logo, não estão se referindo ao Estado no sentido de plural.

Alternativa “b”: o uso do diminutivo, em “aldeiazinha” (l. 19), aumenta a ideia de pequenez e simplicidade que marcou o nascimento de Roma.
Está CORRETA, pois o texto diz o seguinte nas linhas 18 e 19:
“Roma nasceu no século VIII a.C. como uma aldeiazinha. Em 500 a.C. já era uma república, com senado e tudo.”
Ou seja, começou pequenina e depois cresceu.

Alternativa “c”: a cunhagem de moedas é anterior à República romana.
Está CORRETA, pois lá no texto, nas linhas 20 a 24, diz o seguinte:
“Mas ainda não usavam moedas por lá. O dinheiro ainda eram barras de cobre, sacas de trigo, pepitas de sal grosso. A ideia de cunhar discos de metal só chegaria por volta de 300 a.C. Foi mais uma coisa que eles copiaram dos gregos...”
Logo, a cunhagem de moedas é anterior à Roma.

Alternativa “d”: a introdução do dinheiro alimentou a expansão do império romano.
Está CORRETA, pois lá no texto, nas linhas 28 a 30, diz o seguinte:
“A introdução do dinheiro serviu de combustível para a expansão das fronteiras do futuro império mais importante da história.”
Então, o dinheiro fez com que Roma crescesse e se expandisse.

Sendo assim, a alternativa que está INCORRETA é a letra “A”.

Deus abençoe!
Sucesso!
Yasmin

segunda-feira, 23 de maio de 2016

10 Passos para Passar no Exame: Passo nº 05 – Entender como se Aprende

Olá meus queridos!

Hoje em nossa série de 10 Passos para Passar no Exame, falo sobre o nosso 5º Passo, que é sobre “Entender como se Aprende”.

Se você não assistiu aos passos anteriores, clique aqui.

Assista abaixo nosso 5º Passo para se Preparar e Passar no Exame:


Clique no link abaixo para assistir uma palestra do Professor Pierluigi Piazzi:

Espero que tenha gostado!
Deixe aqui seus comentários!
Nos vemos no 6º Passo...

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Até mais!
Yasmin

sábado, 21 de maio de 2016

Questão 48 - CRC 02/2015 - Prova de Bacharel – Língua Portuguesa

Texto das Questões 48, 49 e 50 de Língua Portuguesa:

(clique na imagem para ampliar)
48. Com base no texto, é INCORRETO afirmar que:

a) o Brasil é único nos índices de inflação.
b) a economia pode ser compreendida por meio da analogia com a vida no mar.
c) expressões como “segurar as pontas” (l. 14) e “não deu outra” (l. 27) são comuns na linguagem informal, típicas de situações coloquiais de comunicação.
d) as metáforas “O dinheiro é a ração da economia.” (l. 5), “souberam manter o peixinho da economia saudável.” (l. 9) e “o peixe da economia acabou sufocado” (l. 15-16) são exemplos de linguagem figurada.

Resolução em texto:

Bom, para resolver essa questão é necessário saber interpretar o texto. Então, vamos lá no analisando cada alternativa para encontrarmos a alternativa INCORRETA de maneira fundamentada.

Alternativa “a”: o Brasil é único nos índices de inflação.
Está CORRETA, pois o texto inicia dizendo:
“Os romanos vivem a primeira hiperinflação da história. Os alemães batem a marca de 1.000% ao mês. Os húngaros, a de 1.000.000%. Mesmo assim, só existe um Pelé no mundo da inflação: o Brasil.”
Ou seja, inflação como a nossa não há, somos únicos!

Alternativa “b”: a economia pode ser compreendida por meio da analogia com a vida no mar.
Está INCORRETA, pois o texto faz uma analogia com um aquário de um peixe só e não com a vida no mar. Veja:
“A economia é burra. Ou, pelo menos, mais simples do que parece. Tão simples quanto um aquário de um peixe só.”

Alternativa “c”: expressões como “segurar as pontas” (l. 14) e “não deu outra” (l. 27) são comuns na linguagem informal, típicas de situações coloquiais de comunicação.
Está CORRETA, pois se você for lá no texto e ler essas linhas 14 e 27 verá o contexto coloquial da situação, ou seja, não formal.
A expressão “segurar as pontas”, de maneira formal, significa que souberam lidar com o problema, e a expressão “não deu outra” tem sentido de consequência, ou seja, o resultado não seria diferente.

Alternativa “d”: as metáforas “O dinheiro é a ração da economia.” (l. 5), “souberam manter o peixinho da economia saudável.” (l. 9) e “o peixe da economia acabou sufocado” (l. 15-16) são exemplos de linguagem figurada.
Está CORRETA, pois linguagem figurada é aquela pela qual uma palavra exprime uma ideia recorrendo a outros termos, apelando assim a uma semelhança, seja esta real ou imaginária (Fonte: site Conceito).

Sendo assim, a alternativa que está INCORRETA é a letra “B”.

Deus abençoe!
Sucesso!
Yasmin

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Questão 47 - CRC 02/2015 - Prova de Bacharel – Auditoria Contábil

De acordo com a NBC TA 240 – Responsabilidade do Auditor em Relação a Fraude no Contexto da Auditoria de Demonstrações Contábeis, NÃO constitui aspecto do qual decorre informação contábil fraudulenta:

a) a aplicação incorreta intencional dos princípios contábeis relativos a valores, classificação, forma de apresentação ou divulgação.
b) a manipulação, falsificação ou alteração de registros contábeis que serviram de base à elaboração de demonstrações contábeis.
c) a mentira ou omissão intencional nas demonstrações contábeis de eventos, operações ou outras informações significativas.
d) a utilização não intencional de processos matemáticos imprecisos para a realização de estimativas relacionadas a ajustes contábeis.

Resolução em texto:

Bom, para resolver essa questão é necessário ter conhecimento na NBC TA 240 – Responsabilidade do Auditor em Relação a Fraude no Contexto da Auditoria de Demonstrações Contábeis. Entretanto, creio que com bom senso também dá para ganhar o ponto dessa questão, pois dá para sabermos o que é fraude ou o que é erro.

Se eu não soubesse exatamente o que diz lá nessa NBC TA 240, pelo menos sei que o erro é quando cometemos algo indevido sem a intenção, entretanto, a fraude é quando cometemos algo indevido de forma intencional, ou seja, premeditado.

Então, analisaria as questões da seguinte maneira:

Alternativa “a”: a aplicação incorreta intencional dos princípios contábeis relativos a valores, classificação, forma de apresentação ou divulgação.
É Fraude, pois a aplicação incorreta foi “intencional”.

Alternativa “b”: a manipulação, falsificação ou alteração de registros contábeis que serviram de base à elaboração de demonstrações contábeis.
É Fraude, pois manipulou e falsificou, logo, de forma “intencional”.

Alternativa “c”: a mentira ou omissão intencional nas demonstrações contábeis de eventos, operações ou outras informações significativas.
É Fraude, pois mentiu e omitiu de forma “intencional”.

Alternativa “d”: a utilização não intencional de processos matemáticos imprecisos para a realização de estimativas relacionadas a ajustes contábeis.
É Erro, pois cometeu algo de forma “não intencional”.

Lá na NBC TA 240, no item 11 que trata das “Definições” diz o seguinte sobre Fraude:
“Fraude é o ato intencional de um ou mais indivíduos da administração, dos responsáveis pela governança, empregados ou terceiros, que envolva dolo para obtenção de vantagem injusta ou ilegal.”


Sendo assim, a alternativa que NÃO corresponde à FRAUDE é a letra “D”.

Acesse e leia a NBC TA 240 – Responsabilidade do Auditor em Relação a Fraude no Contexto da Auditoria de Demonstrações Contábeis na íntegra! Clique no link abaixo:

Deus abençoe!
Sucesso!
Yasmin

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Questão 46 - CRC 02/2015 - Prova de Bacharel – Auditoria Contábil

De acordo com a NBC TA 210 – Concordância com os Termos do Trabalho de Auditoria, analise os requisitos apresentados nos itens abaixo, quanto à obrigatoriedade de sua inclusão na carta de contratação de auditoria, e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

I. Objetivo e alcance da auditoria das demonstrações contábeis.
II. Identificação da estrutura de relatório financeiro aplicável para a elaboração das demonstrações contábeis.
III. Referência à forma e ao conteúdo esperados de quaisquer relatórios a serem emitidos pelo auditor, e uma declaração de que existem circunstâncias em que um relatório pode ter forma e conteúdo diferentes do esperado.
IV. As responsabilidades do auditor e as responsabilidades da administração, quanto ao trabalho de auditoria.

Devem ser incluídos na carta de contratação de auditoria os requisitos apresentados nos itens:

a) I e II, apenas.
b) I, II, III e IV.
c) II e III, apenas.
d) III e IV, apenas.

Resolução em texto:

Bom, para resolver essa questão é necessário ter conhecimento na NBC TA 210 – Concordância com os Termos do Trabalho de Auditoria, com foco na obrigatoriedade do que se inclui na carta de contratação de auditoria. Esse assunto é tratado no item 10 da referida norma.

Então, vamos lá no nosso passo a passo analisando e julgando cada item para encontrarmos a alternativa CORRETA de forma fundamentada

Item “I”: Objetivo e alcance da auditoria das demonstrações contábeis.
Está CORRETO, pois lá na NBC TA 210, no seu item 10, diz o seguinte:
“10. (...)os termos do trabalho de auditoria estabelecidos devem ser formalizados na carta de contratação de auditoria (...)
(a) o objetivo e o alcance da auditoria das demonstrações contábeis;”

Item “II”: Identificação da estrutura de relatório financeiro aplicável para a elaboração das demonstrações contábeis.
Está CORRETO, pois lá na NBC TA 210, no seu item 10, diz o seguinte:
“10. (...)os termos do trabalho de auditoria estabelecidos devem ser formalizados na carta de contratação de auditoria (...)
(d) a identificação da estrutura de relatório financeiro aplicável para a elaboração das demonstrações contábeis;”

Item “III”: Referência à forma e ao conteúdo esperados de quaisquer relatórios a serem emitidos pelo auditor, e uma declaração de que existem circunstâncias em que um relatório pode ter forma e conteúdo diferentes do esperado.
Está CORRETO, pois lá na NBC TA 210, no seu item 10, diz o seguinte:
“10. (...)os termos do trabalho de auditoria estabelecidos devem ser formalizados na carta de contratação de auditoria (...)
(e) referência à forma e ao conteúdo esperados de quaisquer relatórios a serem emitidos pelo auditor e uma declaração de que existem circunstâncias em que um relatório pode ter forma e conteúdo diferente do esperado.”

Item “IV”: As responsabilidades do auditor e as responsabilidades da administração, quanto ao trabalho de auditoria.
Está CORRETO, pois lá na NBC TA 210, no seu item 10, diz o seguinte:
“10. (...)os termos do trabalho de auditoria estabelecidos devem ser formalizados na carta de contratação de auditoria (...)
(b) as responsabilidades do auditor;
(c)   as responsabilidades da administração;”

Sendo assim, todos os itens estão CORRETOS.

Resposta: letra “B”!

Acesse e leia a NBC TA 210 – Concordância com os Termos do Trabalho de Auditoria na íntegra! Clique no link abaixo:


Deus abençoe!
Sucesso!
Yasmin

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Questão 45 - CRC 02/2015 - Prova de Bacharel – Perícia Contábil

Uma Sociedade Empresária foi citada para apresentar os cálculos periciais referentes a um processo trabalhista.
A sentença proferida em 1º grau, às folhas 59 a 67 dos autos, condenou a reclamada a pagar ao reclamante:
  • Horas extras diurnas, com 50% de acréscimo, 35 horas em outubro/2013, com integração no Repouso Semanal Remunerado – RSR.
  • Atualização monetária pelo índice fixo de 27%, abrangendo todo o período da verba reclamada até a data do laudo.
  • Juros de mora a contar da propositura da ação, que ocorreu em 1º de abril de 2015.


Informações Adicionais:
  • A jornada de trabalho do reclamante era de 220 horas mensais.
  • A propositura da ação ocorreu em 1º de abril de 2015.
  • O laudo foi finalizado em 31 de julho de 2015.
  • Os Juros de Mora sobre o valor atualizado serão de 1% ao mês, regime de capitalização simples.
  • O salário, a quantidade de dias úteis e os domingos e feriados estão apresentados no quadro abaixo:


(clique na imagem para ampliar)
De acordo com os dados apresentados, o valor total devido ao reclamante é de:

a) R$369,89.
b) R$393,99.
c) R$469,76.
d) R$488,55.

Resolução em texto:

Bom, essa é uma questão não tão simples de resolver, que você deve deixar por último, pois é muito extensa e fará com que se perca muito tempo. Então, resolva questões desse tipo somente se já estiver respondido todas as outras mais fáceis e estiver com tempo sobrando, caso contrário, fuja dela rapidinho...hehehe...

Vamos lá no nosso passo a passo!

1º) De acordo com a primeira parte do enunciado, a empresa foi condenada a pagar as horas extras (com acréscimos), com juros e atualização monetária. Então precisaremos seguir uma ordem de cálculo, que será: 1) calcular as horas extras com os seus acréscimos, 2) calcular os juros, 3) calcular a atualização monetária, para que enfim se chegue ao valor total devido.
Peço atenção no cálculo direto feito pela calculadora, pois pode dar pequenas variações de centavos. Nesse caso fiz os cálculos diretos usando o Excel, ou seja, acumulando os valores, então sugiro que utilizem de 3 a 4 casas decimais. Na descrição abaixo só utilizei 2 casas, porém os valores já estão diretamente acumulados. Vamos lá então!

2º) Cálculo das horas extras:
“Horas extras diurnas, com 50% de acréscimo, 35 horas em outubro/2013, com integração no Repouso Semanal Remunerado – RSR.”

a) sabemos que em out/2013 o salário base é de R$ 1.250,00 e que a jornada de trabalho era de 220 horas. Como a empresa deverá pagar 35 horas extras diurnas, temos que primeiro achar o valor da hora trabalhada, para depois calcular essas 35 horas:

Hora trabalhada =  R$ 1.250 / 220 horas
Hora trabalhada =  R$ 5,68

b) Se a empresa tem que pagar 35 horas extras diurnas, temos que multiplicar pela hora trabalhada:

Horas extras diurnas = 35h x 5,68
Horas extras diurnas = 198,86

c) Entretanto tem os 50% de acréscimo, que será:

Acréscimo de 50% = 198,86 x 50%
Acréscimo de 50% = 99,43

Agora, as Horas Extras com Acréscimo será:

Horas extras + acréscimo: 198,86 + 99,43
Horas extras + acréscimo: 298,30

c) E tem que acrescentar também a RSR (repouso semanal remunerado), que será:
“Dias Úteis/ Domingos e Feriados: 25 dias úteis e 6 domingos/feriados.”

RSR = (298,30 / 25 dias) x 6 dias
RSR = 71,59

Sendo assim, o Total das Horas Extras será:

Total Horas Extras = 298,30 + 71,59
Total Horas Extras = 369,89

3º) Agora vamos apurar e aplicar os juros:
“Juros de mora a contar da propositura da ação, que ocorreu em 1º de abril de 2015”
“O laudo foi finalizado em 31 de julho de 2015.”
“Os Juros de Mora sobre o valor atualizado serão de 1% ao mês, regime de capitalização simples.”

Os juros deverão ser contados de abril a julho, o que são 4 meses cheios. Se os juros é 1% ao mês por capitalização simples, logo, 4 meses serão 4%. E os juros serão:

Juros = 369,89 x 4%
Juros = 14,80

E o valor atualizado será:

Horas Extras + Juros = 369,90 + 14,80
Horas Extras + Juros = 384,68

4º) E por fim, vamos calcular a atualização monetária:
“Atualização monetária pelo índice fixo de 27%, abrangendo todo o período da verba reclamada até a data do laudo.”

Basta aplicarmos 27% sobre o valor das horas extras atualizadas:

Atualização monetária = 384,68 x 27%
Atualização monetária = 103,86

Com isso, finalmente chegamos no valor devido ao reclamante, que será:

Total valor devido = 384,68 + 103,86
Total valor devido = R$ 488,55

Ufaaa! Até que enfim acabou né?!
Conforme falei no início, só gaste tempo em questões desse tipo, se realmente tiver com tempo de sobra no dia do exame.

Resposta: letra “D”!

Deus abençoe!
Sucesso!
Yasmin

terça-feira, 17 de maio de 2016

Questão 44 - CRC 02/2015 - Prova de Bacharel – Perícia Contábil

Os Sócios "A", "C" e "D" de uma Sociedade Empresária decidiram excluir o Sócio "B" da sociedade.
Para esse fim, solicitaram que o contador da empresa apresentasse o Balanço Patrimonial Especial em 31 de agosto de 2015, visando demonstrar ao Sócio "B" a sua parte nos haveres.

O quadro de participação societária era assim constituído:

Sócio “A” = 23,00%
Sócio “B” = 12,00%
Sócio “C” = 25,00%
Sócio “D” = 40,00%


Após os ajustes, foi apresentado o Balanço Patrimonial Especial. O Patrimônio Líquido ficou assim representado:
(clique na imagem para ampliar)
Com base nos dados acima, em uma Perícia Contábil de Apuração de Haveres, o valor apurado para ser pago ao Sócio "B" é de:

a) R$9.660,00.
b) R$31.260,00.
c) R$37.260,00.
d) R$42.060,00.

Resolução em texto:

Bom, é uma questão muito simples de se resolver, pois dá para fazer o cálculo rapidinho.

Então, vamos lá no nosso passo a passo!

1º) O Sócio B está sendo expulso da sociedade (o que será que ele fez né?! Vai saber...kkkk) e então temos que calcular a parte que lhe cabe na sociedade, ou seja, o que ele tem de direito, o que ele tem a haver (receber).

2º) No enunciado diz que o Sócio B tem 12% de participação societária na empresa. E essa participação é em cima de quê? É em cima do patrimônio líquido da empresa oras bolas...hehehe
Significa que ele tem 12% do PL da empresa, que no Balanço está separado em contas e que precisaremos primeiro apurar  o valor dessa PL.

3º) Vamos apurar o valor do PL então:

Capital Subscrito = R$220.000,00
Reservas de Lucro = R$50.000,00
Prejuízos Acumulados = (R$40.000,00)
Lucro apurado até 31.8.2015 = R$80.500,00
Total Patrimônio Líquido =310.500,00

4º) Se ele tem direito em 12% do PL, então:

Sócio B = 12% x R$ 310.500,00 = R$ 37.260,00

Muito fácil não é mesmo?!

Resposta: letra “C”!

Deus abençoe!
Sucesso!
Yasmin

segunda-feira, 16 de maio de 2016

10 Passos para Passar no Exame: Passo nº 04 - Preparar o Plano de Estudos

Olá meus queridos!

Hoje em nossa série de 10 Passos para Passar no Exame, falo sobre o nosso 4º Passo, que é sobre “Preparar o Plano de Estudos”.

Se você não assistiu aos passos anteriores, clique aqui.

Assista abaixo nosso 4º Passo para se Preparar e Passar no Exame:


Clique abaixo para baixar as planilhas do Plano de Estudos:

Espero que tenha gostado!
Deixe aqui seus comentários!
Nos vemos no 5º Passo...

Participe do nosso grupo no Facebook!
Se inscreva no nosso canal no Youtube!
Compartilhe com os amigos!

Deus abençoe!
Até mais!
Yasmin

sábado, 14 de maio de 2016

Questão 43 - CRC 02/2015 - Prova de Bacharel – Auditoria Contábil

De acordo com a NBC TA 200 – Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de Auditoria, Risco de Detecção é:

a) o risco de que o auditor expresse uma opinião de auditoria inadequada quando as demonstrações contábeis contiverem distorção relevante.
b) o risco de que os procedimentos executados pelo auditor, para reduzir o risco de auditoria a um nível aceitavelmente baixo, não detectem uma distorção existente que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções.
c) o risco inerente à suscetibilidade de uma afirmação a respeito de uma transação, saldo contábil ou divulgação, a uma distorção que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções, antes da consideração de quaisquer controles relacionados.
d) o risco que uma distorção pode causar em uma afirmação sobre uma classe de transação, saldo contábil ou divulgação, e que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções.

Resolução em texto:

Bom, para resolver essa questão é necessário ter conhecimento na NBC TA 200 – Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de Auditoria.

Lá na NBC TA 200, no item 13 que trata das “Definições” diz o seguinte sobre Risco de Detecção:

“Risco de detecção é o risco de que os procedimentos executados pelo auditor para reduzir o risco de auditoria a um nível aceitavelmente baixo não detectem uma distorção existente que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto com outras distorções.”


Sendo assim, a alternativa CORRETA é a letra “B”.

Acesse e leia a NBC TA 200 – Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de Auditoria na íntegra! Clique no link abaixo:

Deus abençoe!
Sucesso!
Yasmin