quarta-feira, 11 de março de 2015

Questão 41 - CRC 02/2014 - Prova de Bacharel

De acordo com o que estabelece a NBC TG 16 (R1) Estoques, a respeito do custo dos estoques, é CORRETO afirmar que:

a) o custo de aquisição compreende o preço de compra acrescido dos impostos recuperáveis, descontos e abatimentos.
b) o custo dos estoques pode ser atribuído pelo uso dos critérios Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair PEPS, ou Último a Entrar, Primeiro a Sair UEPS.
c) o custo-padrão ou o método de varejo podem ser usados por conveniência se os resultados se aproximarem do custo real.
d) o total dos custos fixos indiretos de fabricação deve ser atribuído às unidades produzidas. Em nenhum caso, é admitido o registro de tais custos como despesa do período em que foram incorridos.

Resolução:

Pessoal, aqui vamos ter que analisar alternativa por alternativa. Vamos Lá!

a) o custo de aquisição compreende o preço de compra acrescido dos impostos recuperáveis, descontos e abatimentos.
Resposta: Incorreta!
Motivo: Lá na NBC TG 16 (R1) Estoques, lá no item 11, diz o seguinte:
“11.      O custo de aquisição dos estoques compreende o preço de compra, os impostos de importação e outros tributos (exceto os recuperáveis perante o fisco), bem como os custos de transporte, seguro, manuseio e outros diretamente atribuíveis à aquisição de produtos acabados, materiais e serviços. Descontos comerciais, abatimentos e outros itens semelhantes devem ser deduzidos na determinação do custo de aquisição”.

b) o custo dos estoques pode ser atribuído pelo uso dos critérios Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair PEPS, ou Último a Entrar, Primeiro a Sair UEPS.
Resposta: Incorreta!
Motivo: Lá na NBC TG 16 (R1) Estoques, lá no item 25, diz o seguinte:
“25.      O custo dos estoques, que não sejam os tratados nos itens 23 e 24, deve ser atribuído pelo uso do critério primeiro a entrar, primeiro a sair (PEPS) ou pelo critério do custo médio ponderado. A entidade deve usar o mesmo critério de custeio para todos os estoques que tenham natureza e uso semelhantes para a entidade. Para os estoques que tenham outra natureza ou uso, podem justificar-se diferentes critérios de valoração”.
Obs: jamais se utiliza o método UEPS aqui no Brasil,apenas o PEPS e o média ponderada!

c) o custo-padrão ou o método de varejo podem ser usados por conveniência se os resultados se aproximarem do custo real.
Resposta: Correta!!!
Motivo: Lá na NBC TG 16 (R1) Estoques, lá no item 21 e 22, diz o seguinte:
Outras formas para mensuração do custo
21.        Outras formas  para  mensuração do custo de estoque, tais como o custo-padrão ou o método de varejo, podem ser usadas por conveniência se os resultados se aproximarem do custo. O custo-padrão leva em consideração os níveis normais de utilização dos materiais e bens de consumo, da mão-de-obra e da eficiência na utilização da capacidade produtiva. Ele deve ser regularmente revisto à luz das condições correntes. As variações relevantes do custo-padrão em relação ao custo devem ser alocadas nas contas e nos períodos adequados de forma a se ter os estoques de volta a seu custo.
22.        O método de varejo é muitas vezes usado no setor de varejo para mensurar estoques de grande quantidade de itens que mudam rapidamente, itens que têm margens semelhantes e para os quais não é praticável usar outros métodos de custeio. O custo do estoque deve ser determinado pela redução do seu preço de venda na percentagem apropriada da margem bruta. A percentagem usada deve levar em consideração o estoque que tenha tido seu preço de venda reduzido abaixo do preço de venda original. É usada muitas vezes uma percentagem média para cada departamento de varejo.”

d) o total dos custos fixos indiretos de fabricação deve ser atribuído às unidades produzidas. Em nenhum caso, é admitido o registro de tais custos como despesa do período em que foram incorridos.
Resposta: Incorreta!
Motivo: Lá na NBC TG 16 (R1) Estoques, lá no item 13, diz o seguinte:
13.        A alocação de custos fixos indiretos de fabricação às unidades produzidas deve ser baseada na capacidade normal de produção. A capacidade normal é a produção média que se espera atingir ao longo de vários períodos em circunstâncias normais; com isso, leva-se em consideração, para a determinação dessa capacidade normal, a parcela da capacidade total não-utilizada por causa de manutenção preventiva, de férias coletivas e de outros eventos semelhantes considerados normais para a entidade. O nível real de produção pode ser usado se aproximar-se da capacidade normal. Como consequência, o valor do custo fixo alocado a cada unidade produzida não pode ser aumentado por causa de um baixo volume de produção ou ociosidade. Os custos fixos não alocados aos produtos devem ser reconhecidos diretamente como despesa no período em que são incorridos. Em períodos de anormal alto volume de produção, o montante de custo fixo alocado a cada unidade produzida deve ser diminuído, de maneira que os estoques não são mensurados acima do custo. Os custos indiretos de produção variáveis devem ser alocados a cada unidade produzida com base no uso real dos insumos variáveis de produção, ou seja, na capacidade real utilizada.

Logo, a resposta correta é a letra “C”!

Para quem ainda não tem a NBC TG 16 (R1) Estoques, baixe no link:

Fiquem com Deus!
Até mais!
Yasmin



Nenhum comentário:

Postar um comentário